Carta aberta a João Doria

Tentarei ser objetivo: Você entrou na política no momento em que o Brasil está mudando – ou tentando mudar – não apenas de uma fase, mas de um paradigma.

O atraso do país é diretamente relacionado ao quanto o estado nos sufoca com sua onipresença e com seus impostos. Por causa disso, a cada dia o cidadão comum tem menos dinheiro para financiar suas escolhas, seus investimentos e até sua caridade. O arroxo que o estado promove limita até nossa condição de ajudar os mais pobres. Tudo isso porque vivemos para sustentá-lo, digo, para sustentar uma gigantesca e ultrapassada estrutura administrativa que nada mais é que uma máquina de burocracia, de intervenção na vida privada, de desperdício de dinheiro e de corrupção. Uma máquina sustentada pelo dinheiro que o estado ROUBA das pessoas.

As pessoas percebem isso. As pessoas querem mais liberdade e menos impostos.

O momento em que vivemos é de abertura para as ideias liberais. O socialismo, seja o defendido pelo PSDB ou pelo PT, não deu certo. Nunca dará, pelas razões que estampam as manchetes dos jornais todos os dias.

Leia também:  Não se culpe por querer satisfazer o próprio interesse

Você foi eleito em primeiro turno na maior cidade do hemisfério sul desse planeta, superando um prefeito querido pela imprensa, pelos intelectuais, pelos sindicatos, pelos movimentos sociais, pelos artistas, pelos estudantes e maconheiros. Sabe por quê? Porque você lançou a bandeira de “soluções de mercado” para a administração pública. A população adorou isso! A população acreditou em você! Porém, a cada dia você se distancia mais disso que prometeu.

Pergunto: que “solução de mercado” é essa baseada em tornar uma empresa (a prefeitura) mais eficiente por meio de aumento dos preços de seus produtos?

Lembro-me de uma declaração sua, durante a campanha para prefeito. Você disse que acredita apenas em “gestão, gestão e gestão”. Porém, você já está sendo reconhecido como o prefeito dos impostos, impostos e impostos.

Você tem noção disso?

A história e milhões de pessoas comuns te deram uma grande oportunidade. Liberais ignoraram seu partido e confiaram em você. Votaram em você. Fizeram campanha para você. E o que você está fazendo com essa confiança? Jogando-a no lixo.

Leia também:  Combate ao PCC e o desespero da esquerda

Vou te explicar uma coisa que talvez você não saiba:

1 – Diminuição do estado (burocracias, regulações e gastos);

2 – Diminuição de impostos;

3 – Direito ao porte de armas.

Se você não defende esses três princípios liberais, você não é liberal. Não sendo, não será visto como tal, será convertido à um político qualquer, sem princípios e sem militância.

A esquerda está com Lula (ou com quem ele apoiar). A direita está com Bolsonaro. Os liberais estão loucos para apoiar alguém que seja… LIBERAL.

Talvez eu precise te lembrar que o movimento liberal é o que mais cresce no Brasil. E não apenas em número de seguidores, mas principalmente de conscientização de suas ideias. As pessoas estão sabendo o que é isso. Estão esperando de políticos ações liberais, não discursos.

Leia também:  Se a esquerda vencer na Argentina, o mesmo acontecerá no Brasil?

Você vai ignorar?

Preste atenção:

Ao promover aumento de impostos, você assume enxergar que o que falta ao estado é dinheiro, não eficiência; assume que não pretende acabar com o atual conceito de administração de recursos públicos; assume que acredita que as pessoas devem trabalhar cada vez mais para sustentar o governo; assume ainda que não tem nada de diferente de qualquer petista.

João Dória, você não vai ganhar eleição apenas por chamar Lula de mentiroso.

No mesmo dia em que sua “gestão” anunciou a intenção de lançar mais impostos sobre alguns serviços, Jair Bolsonaro estava no congresso gritando que é contra. A população está vendo isso.

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
João Cesar de Melo

João Cesar de Melo

É arquiteto e artista plástico.