Uma defesa islamofóbica da abertura de fronteiras

  Nathan Smith escreveu um ensaio instigador defendendo a liberdade de imigração nos países ocidentais, mesmo diante de tantos casos de terrorismo.  A começar pelo título “Uma defesa islamofóbica da abertura de fronteiras”, Smith já diz a que veio.  O ensaio é todo ele voltado para a ideia de que a melhor maneira de “educarmos” […]

 

Nathan Smith escreveu um ensaio instigador defendendo a liberdade de imigração nos países ocidentais, mesmo diante de tantos casos de terrorismo.  A começar pelo título “Uma defesa islamofóbica da abertura de
fronteiras
”, Smith já diz a que veio.  O ensaio é todo ele voltado para a ideia de que a melhor maneira de “educarmos” os islamitas é trazendo-os para junto de nós, para que, convivendo com os nossos princípios e valores, acabem se afastando do radicalismo e do extremismo.

Na introdução, Smith trata de colocar os números do terrorismo em perspectiva, mostrando que são estatisticamente desprezíveis para forçarem mudanças drásticas no modelo de civilização que o Ocidente escolheu para si.  Para Smith, se ainda continuamos dirigindo automóveis, apesar das milhares de mortes anuais em nossas estradas, não podemos transformar o terrorismo, responsável por um número de vítimas estatisticamente insignificante, numa ponte para abandonarmos alguns dos nossos princípios mais caros.

Smith deixa claro que, de certa maneira, ele pode ser considerado um indivíduo islamofóbico, pois teme o Islã “no sentido de que o considera uma fonte de erro, na melhor das hipóteses, e uma fonte de terror, na pior”.  Mesmo assim, Smith acha que a melhor maneira de modificar aquela gente é trazê-la para junto de nós, algo como uma operação de assimilação.  Afinal, se o nosso modo de vida é tão melhor, como acreditamos que seja, não há por que pensarmos que eles não acabarão se submetendo às nossas regras e à nossa moral, e não o contrário.

Ademais, segundo o autor, são estatisticamente raros os casos de cristãos convertidos ao islamismo, exceto daqueles que vivem sob as leis islâmicas, enquanto é muito maior o número de conversões islâmicas ao cristianismo.  De acordo com Smith, nos Estados Unidos, os islamitas perdem praticamente ¼ de seus crentes a cada geração, percentual parecido com o encontrado na Alemanha, onde existem atualmente perto de 2% de cidadãos muçulmanos, para um total de 4% de origem turca ou árabe.  Enfim, há razões bastante fortes para acreditar que a influência do modelo ocidental sobre os muçulmanos, do cristianismo sobre o islamismo, será muito mais decisiva que o inverso.

Mas  parte mais interessante do ensaio é a sugestão de um comunicado muito claro, objetivo e duro, que deveria ser entregue pelos governos do Ocidente Livre a todos os muçulmanos que eventualmente resolvessem vir para cá.  Segundo Smith, a redação deste comunicado seria mais ou menos assim:

“Você está convidado a vir morar entre nós e, em troca de impostos moderados e obediência às nossas leis, vamos proteger seus direitos à vida, à liberdade e à propriedade, bem como sua liberdade religiosa, na medida em que a prática de sua religião não viole os mesmos direitos dos outros. E os direitos de terceiros incluem algumas coisas com as quais você não está acostumado, tais como o direito de fazer proselitismo de outras religiões, a apostasia do Islã, ou a atribuição de Muhammad como um falso profeta, assim como o insulto de tudo que você considera santo. Você pode construir mesquitas a vontade e frequentá-las, jejuar durante o Ramadã e tentar persuadir os outros, pacificamente, a fazê-lo com você, mas você deve para sempre repudiar a prática do mal que tem manchado a sua fé desde o início dos tempos, e principalmente renunciar ao assassinato dos apóstatas do Islã. Se esta doutrina desprezível e bárbara de assassinatos for ensinada entre vocês, você vai ser preso por incitação à violência. Da mesma forma, enquanto você está livre para não retratar Maomé, você deve entender isso como uma ligação moral apenas sua, não como uma lei que obriga os não-muçulmanos, que pode ser aplicada contra qualquer um, muçulmano ou não, pela violência. Nós não nos importamos quão incompatíveis essas demandas estão com a sua fé, uma vez que têm sido praticadas há milhares de anos por aqui. Somos mais poderosos do que você, e insistimos que, enquanto você viver entre nós, você se ajuste aos princípios de uma sociedade livre. Qualquer esforço para subverter esses princípios serão impiedosamente esmagados. Sua religião deve tornar-se, doravante, um culto privado e pacífico, destituído de poder temporal, como nossas próprias igrejas cristãs voluntariamente se transformaram. Mesmo que você venere o Muhammad conquistador, você deve seguir o exemplo de Jesus, que ensinou que Seu reino não é deste mundo, e disse aos discípulos para humildemente aceitarem as regras terrenas, enquanto aguardam a recompensa no céu”.

Em resumo, estamos abertos a recebê-los, mas as regras quem faz somos nós.  Nesse caso, não há escolha.  Respeite os nossos princípios e valores e viveremos em paz.  Caso contrário, vocês serão punidos com o maior rigor possível, pois não toleraremos a intolerância.

 

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal e João Luiz Mauad no Patreon!
  • Fernando Lopes de Almeida Soar

    [10/1 22:24] Fernando L A Soares: *

    À pátria atraiçoa
    quem facilita ou aceita
    o Islã no Brasil?

    – FLASh

    https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1690626237847043&id=100006990498330
    http://infielatento.blogspot.com.br/2014/09/projeto-para-mega-mesquita-em-porto-alegre.html?m=1

    .
    [20/1 17:20] Fernando L A Soares: *

    Um grito de guerra
    na católica Polônia
    enfrentando o Islã?

    – FLASh

    http://www.worldnewspolitics.com/2015/12/22/150000-christians-just-declared-war-on-islam-every-american-needs-to-see-what-happened-next/

    .
    [20/1 22:24] Fernando L A Soares: *

    Disfarçada sede
    de sangue do Estado Islâmico
    iludindo a incautos?

    – FLASh

    http://www.brasilpost.com.br/2015/12/21/islamofobia-inglaterra_n_8855264.html
    [21/1 12:54] Fernando L A Soares: *

    Fratricida islâmico
    terror sabe lá o que são
    direitos humanos?

    – FLASh

    https://nacoesunidas.org/siria-onu-descreve-situacao-em-madaya-como-abominavel-e-pede-acesso-imediato-a-cidade-sitiada/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+ONUBr+%28ONU+Brasil%29

    .
    [21/1 13:21] Fernando L A Soares: *

    Qual míticas cobras
    fanático mundo islâmico
    próprio rabo engole?

    – FLASh

    http://infielatento.blogspot.com.br/2016/01/arabia-saudita-executa-aiatola-xiita-e.html?m=1#comment-form

    .
    [21/1 13:57] Fernando L A Soares: *

    Assimilação
    dos islâmicos na Bélgica
    resulta impossível?

    – FLASh

    http://www.bbc.com/news/magazine-35311422

    .
    [21/1 15:42] Fernando L A Soares: *

    Meio a islamofóbico
    furor posando de vítima
    terrorista Islã?

    – FLASh

    http://www.brasilpost.com.br/2015/12/26/autoridades-dizem-que-inc_n_8879424.html

    .
    [21/1 16:22] Fernando L A Soares: *

    Islâmico mundo
    mentalmente escravizado
    cabalam sionistas?

    – FLASh

    http://infielatento.blogspot.com.br/2016/01/atualizacoes-em-dezembro-de-2015.html?m=1

    .
    [21/1 19:49] Fernando L A Soares: *

    Cristã nova pátria
    sem a islâmica tutela
    do terror, aceitas?

    – FLASh

    https://www.institutoliberal.org.br/blog/uma-defesa-islamofobica-da-abertura-de-fronteiras/

    .
    [21/1 20:00] Fernando L A Soares: *

    Islâmicos ovos
    da serpente mundo afora
    vão chocando a “Sharia”?

    – FLASh

    http://infielatento.blogspot.com.br/?m=1

    .

  • Patrick Bitencourt

    Na boa por isso me identifico mais com a posição conservadora.A taqyyia permite ao muçulmano mentir e enganar um khafir sem remorso se for em defesa do islã,ou seja,eles podem aceitar o que vocês liberais quiserem e acabar com vocês ao virarem as costas.Não se permite que um muçulmano seja amigo de um khafir em detrimento de outro muçulmano,eles sempre estarão unidos contra o ocidente na busca de implantar a sharia,cujo código prega morte a homossexuais,apedrejamento de mulheres adúlteras,aceita pedofilia e outras abominações.Independente de religião eu não quero que pessoas defensoras desse tipo de conduta entrem no meu país.
    Por isso os conservadores acabam dizendo que vocês servem aos objetivos da esquerda que fomentou essa migração em nome de tolerância,multiculturalismo e outros slogans do politicamente correto.Realmente só o que nos une é a defesa do livre mercado,mais nada.

  • Marcelo Monteiro Ribeiro

    Depois de ouvir toda essa arenga, um imigrante muçulmano poderia morrer de tanto dar risada. Não deixa de ser uma boa ideia.

  • Eddie

    Islamistas, certamente, irão transformar alguns locais da Europa em cantos miseráveis para se viver. O resultado disso será a reviravolta. Historiadores do futuro chamarão isso a “Guerra da Reconquista” moderna, quando todo o progressivismo como um fim em si mesmo deixará de existir.

  • Profeta Kurumim

    Esse sujeito faz parte de uma milenar quadrilha de “invasores, conquistadores”
    que militavam entre os senadores romanos, ministro e conselheiro de generais das legiões.Reencarnou nesse século para ter a oportunidade de corrigir as barbaridades que cometeu naquele época, reajustando-se assim perante a “contabilidade Maior” e livrar-se da lei universal de ação e reação. Ele é o simbolo vivo do egoismo jungido pela sede de poder de submeter. Seu discurso é o mesmo de 2000 anos atrás naquele antro de corrupção, similar ao senado brasileiro atual ! A questão é: “Quem tem o direito de submeter uma nação aos interesses de governos e sistemas autoritários com ideais imperialistas de domínio, e/ou interferir no “livre arbítrio indelével de todo “ser” humano? onde para eles o ser humano não passa de “um burro de carga” sob o domínio de mentes diabólicas como esta; que pensam serem os donos do mundo? Esse sujeito é digno de piedade, pois ele mal sabe que retornará para um lugar mencionado pelo maior profeta que o mundo conheceu que vaticinou: “Se persistires nesse erro, serás jogado nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes”. Sabem quem disse isso?

  • Dalton

    João, isso nunca vai funcionar, nunca, enquanto os governos que estão recebendo essas pessoas forem de esquerda e mantiverem sua política de multi-culturalismo. Pode até ser que uma minoria de muçulmanos se adapte às leis, mas em grande parte eles vão simplesmente trazer o país deles à Europa. Na realidade, como todos já percebemos, o Islã está fazendo agora o que a igreja católica os impediu de fazer na Idade Média. É apenas uma questão de tempo até que ou a Europa se acabe nas mãos desse povo ou que o povo os expulse.
    Fazer discursos “islamofóbicos” para atrair esse povo, no contexto atual e a essa altura do campeonato também não é algo muito sábio de se fazer… talvez a Lola te responda dizendo que os islamitas não devem abandonar sua cultura só porque um povo “branco racista elitista” o quer.

    • Profeta Kurumim

      A verdade é uma só: “Todo ser humano tem o direito (inalienável) de ser aquilo que deseja ser”. Ninguém na história do planeta conseguiu mudar as convicções subjetivas de um espírito milenar, como é o ser humano. Mesmo sendo barbaramente trucidado, como professa esse agente das trevas, só conseguira á uma coisa: Aumentar o número de perseguidores que o buscarão onde que estejam através dos séculos, engrossando as fileiras de oprimidos, que se juntarão para cobrar “com juros e correção monetária” todo o mal que cometera. Quando esse dia chegar, que chegará – quer queira ou não; implorará piedade diante dos seus algozes: “Piedade, piedade!!!” e terá como resposta: “Piedade??! O que é isso? Onde você aprendeu tal coisa?!.

    • Douglas Barca

      Só lembrando essa questão recente.

      A maioria dos liberais, libertários e os demais “amantes da liberdade” foram a favor da livre imigração em massa dos macacos da areia para a Europa em nome do “livre mercado” e da “liberdade individual”.

      Os resultados disso, que a maioria dos conservadores e vários anarcocapitalistas já alertavam, é o que todo mundo está vendo: aumento dos estupros, aumento da criminalidade em geral e (para o horror do horror dos liberais e libertários) o aumento massivo dos gastos públicos com segurança pública e com assistencialismo do Estado de bem-estar social.
      Isso tudo já era previsto (e desejado) pelo establishment esquerdista.

      https://www.youtube.com/watch?v=yjjSG705Inc (vlogger anarcocapitalista)
      http://christophercantwell.com/2016/01/24/radical-agenda-ep094-the-libertarian-case-for-trump/ (autor anarcocapitalista)
      Isso é só um exemplo recente de como os sociais democratas, socialistas e demais esquerdistas usam e abusam dos liberais e dos libertários para seus objetivos.

      Não existe isso de “muh liberdade” como os liberais e libertários acreditam igual autistas.
      Economia não é a base de nenhuma sociedade.
      Liberdade não é o princípio estruturador de nenhuma sociedade, nunca foi e nunca será.
      Existem regras que em seu conjunto garantem a liberdade, a ordem e a prosperidade.

      Regras mais complexas do que o PNA existem em ambientes privados para manter a Ordem e portanto também devem existir em ambientes “públicos” para garantir o mesmo. Essa é a realidade que liberais e libertários continuam não querendo aceitar.