O perigo do totalitarismo

NIVALDO CORDEIRO*

O artigo do Marco Antonio Villa, publicado hoje na Folha de São Paulo (Ministério da verdade), é daqueles que os democratas que se preocupam com os destinos políticos da Nação precisam ler com lupa. O autor mostra como o Brasil está vivendo uma situação de partido único, sem oposição, pela qual práticas fascistas se instalaram na condução do Estado brasileiro. Seu diagnóstico foi preciso: “É um processo com tinturas fascistas, que deixaria ruborizado Benito Mussolini, graças à eficiência repressiva, sem que se necessite de esquadrões para atacar sedes de partidos ou sindicatos. Nem é preciso impor uma ditadura: o sufrágio universal (sem política) deverá permitir a reprodução, por muitos anos, dessa forma de domínio”. O que nos separa da ditadura aberta é a existência (ainda) da liberdade de imprensa.

Leia também:  Bolsonaro, uma Dilma 2.0?

Comentário na íntegra

 

Artigo comentado: Ministério da Verdade 

 

* Economista e mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV/SP), ocupou vários cargos na administração federal, e hoje é empresário em São Paulo.

 

N.E.: sobre  Marco Antonio Villa, vide citações no site do IL em

O herdeiro do ditador, por Cândido Prunes

Governo Lula para crianças , por Marco Antonio Villa

A coerência de Lulla, por Arthur Chagas Diniz

 

 

 

 

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.