fbpx

O aumento do IPTU em São Paulo e o projeto de poder do PT

RODRIGO NEVES*

O motivo do Haddad querer o IPTU alto para os paulistanos não é apenas punir bairros e eleitores em que ele perdeu as eleições.

A lógica do aumento de IPTU em São Paulo é mais do que isso: É a de tornar a economia da cidade dependente do Governo, acabando com sua iniciativa privada e empreendedorismo.

Basta ver o quadro abaixo para entender:

brasil

São Paulo é uma das cidades mais livres do Brasil, em que a população menos depende do governo e aonde o poder público representa menos de 5% do PIB do município.

Isso torna o cidadão paulistano um cidadão de fato. Um homem livre, e não um súdito do Governo.

Para o PT, essa liberdade é mais do que um obstáculo a sua hegemonia de poder e seu “controle social do eleitorado”: É uma situação ideologicamente inaceitável.

A lógica do PT, e de todos os partidos socialistas que já rondaram esse mundo em que vivemos é simples: Controlar a população por meio do controle estatal da economia – Seja diretamente, por meio da extinção da propriedade privada, seja indiretamente ao tornar as empresas e cidadãos dependentes de recursos públicos (Vide BNDES) e regulados/controlados por legislação estatal (Vide as Agências Reguladoras, portarias e as milhares de leis intervencionistas).

Com o aumento do IPTU, o PT espera efetivamente danificar as empresas, negócios e a economia paulistana, forçando um exodo de empregos e empresas da cidade de São Paulo, de forma a efetivamente castrar o maior bastião da oposição democrática ao projeto de poder do socialismo petista.

O aumento do IPTU, imposto pelo Prefeito Haddad e pelo PT é mais do que uma ameaça aos nossos bolsos: É uma ameaça a nossa liberdade e a democracia no Brasil.

*HISTORIADOR E ANALISTA POLÍTICO

Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.