fbpx

Crise do coronavírus: comparações entre a economia brasileira e mundial

Talvez a principal palavra que resume a crise do coronavírus, uma crise de saúde, que tem impactos na economia, seja incerteza, tanto em questões de saúde quanto de economia. Porém, algumas comparações podem ser feitas, principalmente com base nas projeções que o FMI divulgou em abril deste ano, no World Economic Outlook. Neste artigo, vou resumir, em tópicos, alguns levantamentos feitos por mim desde o começo da crise, a maior parte comparando a economia brasileira com o contexto da economia mundial.

  • 64 países, que representam mais de 60% da economia mundial, devem apresentar o pior desempenho econômico das últimas décadas;
  • 80% dos países do mundo devem apresentar quedas do PIB em 2020. Em 2009, segundo ano da crise financeira internacional de 2008/09, foram 47%;
  • 75% das economias emergentes devem apresentar taxas reais negativas do PIB neste ano. Em 2009, o número foi de 38%;
  • 73% dos países do mundo devem apresentar, no biênio 2020/21, um resultado pior, em termos de crescimento econômico, do que na média 2009/10;
  • A taxa de desemprego mundial deve aumentar para 9,5% em 2020, ante 6,5% em 2019;
  • 57% dos países do mundo devem apresentar uma taxa de desemprego maior do que em 2009;
  • Em 2020, de acordo com as projeções do FMI, o PIB brasileiro deve ser 2,3 p.p. menor do que o PIB mundial e 4,3 p.p. menor do que da média dos países emergentes neste ano;
  • A diferença entre as projeções do FMI para o Brasil em outubro de 2019 e abril de 2020 foi -7,3 p.p., maior que a diferença do PIB mundial (-6,4 p.p.) e das economias emergentes (-5,6 p.p.);
  • Devido à grande incerteza, este ano ocorreu a maior diferença entre as projeções do FMI e das expectativas de mercado, segundo o boletim Focus, para o PIB brasileiro;
  • 64% dos países devem apresentar uma taxa real de crescimento do PIB em 2020 maior do que o Brasil;
  • 63% dos países devem apresentar uma taxa de crescimento do PIB per capita (US$, PPP) maior do que o Brasil em 2020;
  • Na crise atual do coronavírus e na recuperação no ano seguinte, 82% dos países devem apresentar uma média de crescimento maior do que a brasileira, segundo as projeções do FMI;
  • 77% dos países devem apresentar um crescimento maior do que o brasileiro, em relação ao PIB per capita (US$, PPP), no biênio 2020-21, da crise do coronavírus e da possível recuperação.
Marcel Balassiano

Marcel Balassiano

É mestre em Economia Empresarial e Finanças (EPGE/FGV), mestre em Administração (EBAPE/FGV) e bacharel em Economia (EPGE/FGV).