A Geração do Milênio e o Estado Beneficente

Debate: Student Forum – Quinta, 25 de outubro, 20 h

CATO INSTITUTE / LIGIA FILGUEIRAS*

Se Você nasceu depois dos anos 1980, tem familiaridade com os meios de comunicação de massa, tecnologias digitais, mídia social, já ouviu falar das ideias “neoliberais” na política e na economia, Você é da Geração Y ou Geração do Milênio, filha da Geração X. Aparentemente, tudo ia bem para sua geração, especialmente no cenário americano, até que surgiu a recessão mundial 2008-2012. Ainda com sombrias perspectivas.

A boa notícia é que Você pode se informar sobre o que está em jogo e procurar caminhos de solução, se não para o mundo, ao menos para você. Participe do debate que o Cato Institute promove na próxima quinta-feira, dia 25, às 6 PM [com o horário de verão aqui no Brasil, será às 8 da noite, horário de Brasília]. Tema: Millennials and the Welfare State: Burden or Blessing?

Se Você é da Geração do Milênio, inglês não deve ser problema! Para acompanhar o debate ao vivo, acesse www.cato.org/live. Se quiser participar das conversas, o Twitter é o meio: use a hashtag #CatoEvents.

A seguir, o CATO contextualiza:

Otto von Bismarck: tudo começou com ele

Leia também:  Paulo Guedes perdeu a chance de ficar calado

Desde a implantação dos programas de seguro social de Otto von Bismarck nos anos 1880, governos mundo afora seguiram o mesmo caminho criando programas de governo para administrar ou prover aposentadoria, educação, assistência médica, habitação, renda e muitos outros benefícios.

Nos últimos anos, no entanto, a turbulência econômica estampou um sério desafio para os Estados beneficentes: a sustentabilidade a longo prazo. Passivos a descoberto se acumulam e os cálculos estimam que os benefícios dos programas existentes poderão evaporar muito antes que os jovens de hoje se aposentem. As manchetes da Europa levaram alguns a indagar nos EUA sobre a viabilidade do Estado beneficente, especialmente quanto ao atual sistema de aposentadoria do modo de repartição [em contraste com o de capitalização] e o de assistência médica.

Leia também:  Imposição de futebol feminino goela abaixo: saiba a quem isso interessa

Será que o corte de benefícios, a elevação de impostos, o aumento da idade de aposentadoria e ajustes similares serão suficientes para salvar o Estado beneficente? O encolhimento da base da pirâmide demográfica indica que os jovens estão pagando impostos para os atuais beneficiários, mas não poderão contar que as gerações seguintes garantirão sua aposentadoria e as despesas médicas. Não surpreende que esses jovens se envolvam menos com política do que a geração mais velha. O sistema político pode enfrentar esses problemas de forma equilibrada? Há meios de sustentar os atuais programas? Como harmonizar interesses das diferentes gerações? Se os programas beneficentes tiverem que ser substituídos, o que vai acontecer com os que pagaram por eles e o que os irá substituir?

Leia também:  O risco latente do autoritarismo no Brasil

Participe do debate ouvindo as ponderações de Tom G. Palmer e Michael Tanner, colaboradores de After the Welfare State: Politicians Stole Your Future, You Can Get It Back, e William Galston, autor de diversos livros, entre eles, The Practice of Liberal Pluralism.

A participação é gratuita. Para se inscrever, passe um e-mail para  events@cato.org, fax (202) 371-0841, ou ligue para (202) 789-5229 até 6:00 PM, quarta-feira, 24 de outubro, 2012 (20 h, Brasília).

 

* CATO Today, Cato Institute, October 19, 2012 / EDITORA DO IL
Ref. da imagem: Wikipedia
Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.