A educação e a USP


ARTHUR CHAGAS DINIZ*

A Universidade de São Paulo, a USP, como é efetivamente conhecida, atravessa um período negro em sua história. As cenas de vandalismo explícito mostradas pela televisão são incompatíveis com o grau de educação esperado da futura elite paulistana. O campus da Universidade, a pedido dela mesma, passou a ter policiamento permanente da Polícia Militar depois de um assassinato lá ocorrido. Recentemente, a polícia apreendeu três estudantes que fumavam acintosamente maconha.

O grupo de estudantes que ora ocupa de forma ilegal e violenta áreas da própria reitoria fez do episódio um “cavalo de batalha” e quer, agora, a retirada integral da PM do campus. O limitado grupo de estudantes (?) que invadiu e depredou instalações usa lenços e máscaras para esconder o rosto, mas a violência não esconde suas intenções.

Leia também:  Progressismo: boas intenções e péssimas políticas

Este tipo de comportamento não camufla o fato de que a Universidade, intensamente paga com recursos da sociedade, não consegue se qualificar entre as 200 melhores universidades do mundo. A política lá é marcadamente estalinista na condução dos procedimentos universitários. Como em toda universidade brasileira, a condução política é lastreada nas velhas práticas comunistas que não se contentam com oportunidades iguais. Querem nivelar por baixo e “criar” resultados iguais.

O governo de São Paulo tem que tratar essa minoria de maneira enérgica e exemplar partindo do conceito de que deve ser processada pelos prejuízos materiais causados por sua violência. Os universitários que não participaram dessa violência perderam e estão perdendo preciosas aulas e os cidadãos paulistanos, vendo seus impostos estaduais jogados no lixo.

Leia também:  A proposta autoritária de Tabata Amaral

Estes, sim, estes mesmos universitários transgressores formam a “elite” dentro da qual estarão, no futuro, deletérios ministros de esportes e/ou governadores de Brasília. É um mau exemplo para o resto dos estudantes brasileiros que sonham um dia ser parte da universidade paulista.

 

*PRESIDENTE DO INSTITUTO LIBERAL

 

Este artigo integra a  Série PONTO DE VISTA, do site do IL.  As opiniões aqui emitidas são de responsabilidade exclusiva do signatário, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Instituto Liberal.

 

O conteúdo do artigo pode ser reproduzido uma vez citada a fonte.

Leia também:  O poder da caneta que empunha o presidente

 

Instituto Liberal

www.institutoliberal.org.br

REF. IMAGEM: Wikipédia

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.