A ameaça da inflação

ALVARO VARGAS LLOSA*

Sintomas de inflação estão começando a aparecer em muitos países.

Um fator importante para o que está acontecendo é a doença da liquidez dos tempos atuais – “facilitação quantitativa”, a criação artificial de dinheiro como um meio de estimular recuperação total da economia após a calamidade financeira de 2007-2008. A teoria diz que o dinheiro criado pelo governo vai estimular mais gastos, tirando as empresas do atoleiro. O que ocorre, de fato, é que o dinheiro vai primeiro para o mercado financeiro, cujos agentes basicamente criam bolhas ao investirem em qualquer coisa que esteja na moda. Há uma dupla razão para isso:

  • Primeira: os agentes financeiros esperam fazer dinheiro rápido.
  • Segunda: as empresas e as famílias que ainda arcam com as conseqüências dos excessos de créditos não estão prontas para fazer crediário na mesma proporção que seus governos dizem que deveriam e provavelmente nem os bancos devem estar querendo conceder empréstimos como estavam acostumados a fazer.
Leia também:  Não é só contra Lula: é hora de dar uma resposta ao STF!

Por um momento, então, parece ser necessária maior facilitação quantitativa de crédito porque o consumo continua insuficiente e o desemprego, elevado. Com isso, os bancos centrais estão imprimindo mais dinheiro. Para se justificarem, algumas vezes eles mostram índices de preço ao consumidor (altamente insignificantes) que revelam baixa inflação. Até, é claro, que seja tarde demais e os sintomas comecem a aparecer em todo lugar. Sim, em todo lugar: até nos Estados Unidos onde, apesar de todos os esforços do Federal Reserve para manter um índice de inflação bem baixo, o rendimento dos títulos de 10 anos disparou, o que reflete o medo de muitos investidores de que as autoridades logo serão obrigadas a elevar as taxas de juros.

Leia também:  Não protestem por voto impresso: exijam a volta das cédulas de papel

 

Fonte: Alvaro Vargas Llosa, “The Specter of Inflation,” Independent Institute, January 26, 2011.

* Membro sênior do Centro para Prosperidade Global do Independent Institute. Texto condensado pelo National Center for Policy Analysis – NCPA, organização com base em Dallas, Texas, EUA, voltada para o estudo de problemas econômico-sociais e a busca de soluções que ofereçam alternativas privadas e de economia de mercado para a regulamentação e o controle do governo. Não tem fins lucrativos nem vínculo político-partidário.

 

TRADUÇÃO: LIGIA FILGUEIRAS

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  O Brasil é realmente o país dos jeitinhos