Resumo da corrida presidencial de 2014

Izabella Vasconcellos*

Marina-Melancia

O PT começou o ano em alta. A possibilidade de uma vitória da oposição era (bem) improvável.

Em abril, acontece aquele “bafão” na Petrobras. Em julho, a copa das copas se tornou o mico dos micos. Pronto, a popularidade da Dilma começou a despencar.

O Aécio, apesar de bem fraquinho em seus discursos, começou a subir. A esperança de mudança no governo era cada dia mais real.

No dia 13 de agosto, com a morte do então presidenciável Eduardo Campos, tudo mudou: a chance de uma derrota do PT nas urnas ficou ainda mais real. Mas não para a “oposição” PSDB, o PT provavelmente irá ser derrotado por alguém que gostaria de estar no Poder pelo PT. Isso é um tapa de luva de Marina Silva em seu partido do coração.

Leia também:  Adam Smith e o massacre de Suzano

Enfim, tenho uma enorme tristeza em ter que escolher entre os menos piores. Saber que as opções existentes fazem parte do Foro de São Paulo, me tira a esperança de um país melhor. Entretanto, ainda assim (acredito eu), nada pode ser pior do que mais quatro anos iguais aos últimos doze.

*Advogada e Especialista do Instituto Liberal

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.

3 comentários em “Resumo da corrida presidencial de 2014

  • Avatar
    17/09/2014 em 9:07 pm
    Permalink

    O SENHOR PEDRO FOI MUITO AFOITO E CRÍTICO EM SEU COMENTÁRIO CONTRA A ARTICULISTA: ELE ESTÁ SEM NENHUMA RAZÃO, POR DESCONHECER OUTROS ARTIGOS E COMENTÁRIOS, TODOS MUITO BONS, DESSA MESMA PESSOA.COMPETÊNCIA É O QUE NÃO FALTA A ELA TENHO CERTEZA, PELO QUE JÁ APRESENTOU ATE AQUI.

  • Avatar
    16/09/2014 em 3:22 pm
    Permalink

    Gzuis, que raio de artigo é esse! Parece uma daquelas redações sofridas de crianças no fim do ensino fundamental em escola pública. Será que essa “especialista” consegue escrever mais do que 3 míseros parágrafos? Aposto que não advoga! E logo se vê o porquê: não consegue escrever! O IL deveria zelar pela qualidade do que publica.

    • Roberto Barricelli
      16/09/2014 em 4:22 pm
      Permalink

      Pedro.

      Li seu comentário e tentei achar um único argumento, mas só vi ataques sem quaisquer base argumentativa. Tem certeza que a articulista que escreve tal qual criança? É, meu caro, antes de apostar, ou falar sobre alguém, deveria ter um mínimo de conhecimento sobre quem está falando. Honestidade intelectual é o mínimo que se espera.

      Mas claro que o seu “aposto” deixa bem claro seu completo desconhecimento. Falar do desconhecido sem nenhuma base… Que credibilidade você pensa ter, com essa atitude, para dizer o que deve ou não o IL, ou a articulista, fazer?

      Como não uso essa tática pobre de atacar sem argumentar, deixo as seguintes informações:

      1 – A especialista advoga e é excelente no que faz
      2 – Há outros artigos da mesma neste blog e, mesmo ficando claro sua falta de apreço por pesquisa, sugiro que os leia antes de “apostar” algo, ou dizer que a articulista/especialista do IL não consegue escrever mais de três parágrafos.
      3 – A articulista/especialista é mensalmente publicada em mais de 10 jornais e 5 portais desde que iniciou sua colaboração com o Instituto Liberal (em julho).
      4 – Me diga, então você mede a qualidade através da quantidade de parágrafos? O nosso vice presidente, que tem amplo conhecimento e é um exímio articulista, costuma escrever textos em me´dia co três parágrafos, então, ele não sabe escrever só porque os textos não tem X parágrafos? Isso para você é saber escrever? Que métrica pobre, meu caro! Vamos então jogar no lixo diversos poemas, artigos, textos, músicas, de poetas como Carlos Drummond, jornalistas como Carlos Lacerda, escritores como Machado de Assis e compositores como Antônio Carlos Jobim (obviamente que não estou comparando nossa especialista com eles, apesar de ser muito boa, apenas desmascarando seu pseudo-argumento).
      5 – Recomendo que na próxima, além de pesquisa, ofereça um único argumento racional, lógico e honesto, assim evitará passar vergonha novamente.

      Abraços

      Roberto

Fechado para comentários.