fbpx

Por que não deixar a iniciativa privada fazer aquilo que ela sabe fazer melhor?

Enquanto os governos faziam o possível e o impossível para destruir as economias de seus respectivos países, a iniciativa privada se desdobrava para produzir os insumos necessários para amenizar os problemas da pandemia. Foi assim com a produção de EPIs, de desinfetantes, de equipamentos médico-hospitalares e principalmente de vacinas – estas últimas desenvolvidas com taxas de eficácia e segurança excelentes.

Produtos escassos ou inexistentes no início da pandemia foram disponibilizados para os consumidores em tempo recorde pelos vorazes capitalistas em sua busca incessante pelo lucro.

É inacreditável, portanto, que as pessoas aceitem docilmente que os governos arroguem para si, com exclusividade, a tarefa absolutamente hercúlea e complexa de distribuir com segurança e celeridade as vacinas.

Em países com burocracias estatais bem menos ineficientes do que a nossa, já há vários relatos de atrasos e demoras injustificáveis. Aqui, provavelmente, não será diferente.

Por que não deixar a iniciativa privada fazer aquilo que ela sabe fazer melhor (ou pelo menos muito melhor que o governo)? Este é um daqueles paradoxos difíceis de aceitar com naturalidade.

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.