CPI para apurar a conduta do ex-juiz Sérgio Moro

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) propôs a instalação de uma comissão parlamentar de inquérito para apurar suposta quebra do princípio da imparcialidade do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, quando presidiu várias ações penais, segundo o Jornal do Senado.

O senador capixaba, recém-chegado ao estamento,  já inicia a sua atividade parlamentar com a estultice de instalação de CPI. Quando uma CPI do Senado produziu algum efeito positivo? CPI custa dinheiro ao Erário, ou seja, ao bolso dos contribuintes. O senador deveria  empregar o seu tempo em projetos de interesse social e da nação.

Vamos deixar de politicagem, de picuinhas piegas. Sérgio Moro está sendo vítima dos abutres políticos, do sindicato criminoso que roubava o Brasil, onde o chefão-mor se encontra hoje preso na Polícia Federal, quando deveria estar em presídio público como preconiza o princípio da igualdade constitucional de que  todos devem ser tratados da mesma forma.

Leia também:  “Da Monarquia à Oligarquia”: elite, povo e instituições no Brasil

Se Fernandinho Beira-Mar foi condenado e está preso em presídio comum, por que o ex-presidente Lula tem tratamento diferenciado? Criminoso é criminoso, portanto, a lei de execução penal deve valer para todos.

O senador Contarato e outros mal-intencionados parlamentares se esquecem de que a Operação Lava-Jato, sob o comando de Sérgio Moro & Cia, fez ingressar nos cofres públicos bilhões de reais surrupiados pela gangue política  que orquestrava o país e que hoje muitos se encontram presos: Lula, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral etc.

Trata-se de uma grande palhaçada pretender-se criar CPI para investigar Sérgio Moro, quando se esperava de parlamentares atitudes republicanas para investigar a autoria da ação delituosa dos hackers ao invadirem sigilos da República.

Leia também:  Abaixo-assinado contra Miriam Leitão e a verdadeira guerra cultural

Causa perplexidade que o senador Fabiano Contarato, versado em Direito, dê credibilidade a informações obtidas de fontes ilegais.

A verdade é que a esquerda não se conforma com a condenação e prisão daquele que comandou o maior esquema de corrupção política do país. Mesmo condenado em três instâncias, ainda assim observa-se apoio de indecorosos políticos aos mais sórdidos artifícios possíveis para ver Lula fora da cadeia.

Qualquer cidadão ou cidadã de país de democracia séria jamais aceitará que alguém possa ficar rico só vivendo do exercício político.  Lula é a expressão política mais corrupta que o país já teve.

Sobre o autor: Júlio César Cardoso é Servidor  federal aposentado.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  A pluralidade do Instituto Liberal e sua linha editorial