fbpx

Para onde andam nossas instituições?

Daniel Sabba*

cristina-kirchner-e-dilmaNos últimos tempos o governo, não satisfeito com os resultados obtidos pelos órgãos de pesquisa estatística e econômica, vem sistematicamente tentando alterar a metodologia de cálculo para uma menos danosa a sua imagem, mesmo que essa não reflita a imagem verdadeira. Os outrora respeitados IBGE e IPEA se tornaram institutos aparelhados politicamente.

O IBGE é o alvo atual do governo, porque os índices econômicos estão mostrando que a nossa situação atual difere do que o propagandeado, como por exemplo, o desemprego. A Pesquisa PNAD Contínua revelou que o índice real de desemprego no país é de 7,4%, contra os 5,7% defendido pelo governo[1]. Isso foi o suficiente para que fosse proibido sua divulgação, houve a necessidade que o MPF interviesse para que o IBGE pudesse divulgar[2]. Com medo de que tal informação seja usada pela oposição para questionar o real desempenho do governo, a censura foi a opção escolhida pelo governo, chegando ao ponto de que os funcionários do IBGE viessem a tona para defender tal pesquisa[3]. Diferente da atitude da presidente do IBGE que prontamente se dispôs a rever a metodologia para uma aceitável pelo governo, como destacado na revista Istoé.

Outro ponto que vem sendo modificado pelo governo para atingir seus objetivos é a metodologia para mensuração da inflação, no ano de 2012 houve sua primeira alteração, na qual o resultado oficial foi de 5,84% contra 6,54% que seria o valor correto, caso não tivesse tido alteração na metodologia segundo Schwartsman[4]. Agora, o governo pretende modificar novamente o cálculo utilizado para que sejam excluídos alimentos do índice atual, para que este ano não estourem a meta de inflação mais uma vez[5].

Esse é um processo de Argentinização da economia brasileira, o governo esta fazendo com que os índices oficiais não reflitam a realidade, para que serve um termômetro que não mede a febre? Lembremos que na Argentina o índice oficial se descolou da realidade, seu resultado, no ano passado, foi de 10,9%, enquanto para as consultoras privadas chegou a 28,3%[6]. Chegou ao ponto de faltar Big Mac nos McDonalds, pois o mesmo compunha o índice de preços, o governo ordenou o congelamento dos preços de tal índice o que gerou sua falta.

Lembremos também da controversa forma de classificar a classe social dos indivíduos, na qual, para ser membro da classe média a família deve ter renda per capta entre 291 e 1.019 reais[7]. Isso quer dizer que cerca de 65% dos moradores das favelas são da classe média[8]. Alguém em sã consciência consegue concordar com tal afirmação?

O IPEA é outro instituto que recentemente se viu em uma encruzilhada, depois que a pesquisa sobre o abuso contra mulheres se mostrou manipulada, pois, na verdade, 26% dos entrevistados concordaram com a afirmação de que mulheres com roupa curta merecem ser atacadas e não 65%[9].

O Ministério da Fazenda fez uma série de manobras para aumentar receitas e cumprir a meta fiscal nos últimos anos, somente ano passado a manobra fez ‘aparecer’ quase 16 bilhões de reais nos cofres públicos no ano de 2012[10] e o real descumprimento em 2013 da meta, a qual novamente a contabilidade criativa virou regra do jogo [11]. Isso quer dizer que o governo na realidade esta gastando mais do que arrecada, o superavit só existe graças a manobras contábeis, para este ano o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, já sinalizou que para manter a meta fiscal ele poderá aumentar ainda mais nosso impostos[12]. Se já estava ruim, pelo visto vai piorar. O proprio Tribunal de Contas da União vê risco de ‘Argentinização’, tanto que aprovou as contas com ressalvas[13].

Se o Brasil pretende ser levado a sério, devemos procurar promover a independência das instituições, para que as mesmas façam sua função primordial, de revelar a realidade como ela é e não como que o governo deseja que fosse. Devemos aceitar os dados das pesquisas, por piores que possam parecer, pois assim que saberemos quais as reais necessidades nossas. Como nossas instituições estão aparelhadas politicamente, pesquisas deixam de ter o valor cientifico para ter valor populista, ou pior ainda valor partidário, como no caso da tão famigerada pesquisa do IPEA. Não deixemos o Brasil se transformar em Argentina.

Daniel Sabba é formado em economia com enfâse em liderança pelo Ibmec/RJ e Coordenador Estadual do EPL/AP

[1] Novo índice mostra desemprego em 7,4% no 2° trimestre de 2013, diz IBGE

[2] MPF ajuiza ação para impedir que IBGE engavete a Pnad Contínua

[3] Técnicos do IBGE defendem divulgação de pesquisa e ampliam crise no órgão

[4] Nova metodologia de cálculo deixou inflação dentro da meta, diz Schwartsman

[5] Técnicos do governo estudam tirar alimentos do cálculo da inflação

[6] Segundo novo índice oficial, Argentina registra inflação de 2,6% em março

[7] Para governo, rico no Brasil se acha da classe média

[8] Classe média já chega a 65% nas favelas, diz pesquisa

[9] Ipea corrige pesquisa sobre abuso contra mulheres

[10] Governo faz manobra para levantar R$ 16 bi e cumprir meta fiscal de 2012

[11] Governo não cumpriu a meta fiscal de 2013

[12]Mantega garante meta fiscal e sinaliza que pode aumentar impostos

[13] Ministro do TCU vê risco de “argentinização” nas contas do Brasil

Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.