ONU desce ao fundo do poço

JOÃO LUIZ MAUAD *

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) incluiu, em cerimônia realizada nesta sexta-feira em Havana, os escritos de Ernesto “Che” Guevara no Programa Memória do Mundo. Com isso, os manuscritos do médico argentino convertido em líder revolucionário são reconhecidos agora como patrimônio da humanidade.  Tal reconhecimento faz com que esses documentos passem a contar com o apoio da Unesco para sua proteção e sua preservação.

Esta é uma notícia intolerável para qualquer pessoa minimamente informada sobre quem foi – na realidade  e não na ficção – Ernesto Che Guevara.  Mas o que esperar de uma organização que já o havia aplaudido, entusiasticamente, quando ele ali produziu um dos discursos mais horrendos que o mundo já assistiu?

“Execuções?”, gritou o facínora perante glorificada Assembléia Geral da ONU, em 9 de dezembro de 1964. “É claro que executamos!”, declarou o ungido, gerando aplausos entusiasmados daquele venerável órgão. “E continuaremos executando enquanto for necessário! Essa é uma guerra de morte contra os inimigos da revolução!”

Será que este discurso também se tornará patrimônio da humanidade?

E que tal isso?

“Eu não preciso de provas para executar um homem, eu só preciso saber que é necessário executá-lo!”

“Estou aqui nas montanhas de Cuba sedento por sangue”, escreveu Che para a sua esposa abandonada em 1957. “Querido pai, hoje descobri que realmente gosto de matar”, escreveu logo depois.

Será que essas cartas para o pai e a ex-mulher também passarão a contar com a proteção da Unesco?

O que mais será preservado pela ONU?  Escritos de um psicopata típico, que diz coisas como:

“Minhas narinas se dilatam quando aprecio o odor acre da pólvora e do sangue. Louco de fúria, mancharei de vermelho meu rifle estraçalhando qualquer inimigo que caia em minha mãos! Com a morte de meus inimigos preparo meu ser para a sagrada luta, e juntar-me-ei ao proletariado triunfante com um berro bestial!”

* ADMINISTRADOR DE EMPRESAS

Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.