Metodologia do Idiota Útil (6) – O Pombo Enxadrista

pombo-enxadrista

O idiota útil não aceita perder um debate, jamais. Por causa disso desenvolveu uma tática (hoje já desgastada e óbvia) de fugir do debate como se o debatedor fosse um indivíduo intelectualmente incapaz, enquanto ele é um ser iluminado detentor de toda sabedoria. Debater com um idiota íútil é como jogar xadrez com um pombo, ele derrubará as peças, cagará no tabuleiro e voará cantando vitória. Não passa do que Arthur Scopenhauer chamou de “falácia da falsa proclamação de vitória”, que consiste em dar respostas sem conteúdo, ou tolas e estéticamente “bonitinhas” ao adversário para tentar passar a falsa impressão de ter vencido o debate aos “expectadores” mais ingênuos. Também está intimamente ligada à estratégia do “estilo sem conteúdo”, ou seja, tentar legitimar um argumento falacioso através da estética empregada, ao invés do conteúdo apresentado. (Referência: Como Vencer um Debate sem precisar ter razão – Em 38 Estratagemas (Dialética Erística); Editora Topbooks; 2003).

Também faz parte dessa tática bombardear o adversários com perguntas irônicas (autorespondidas), deixando a entender que qualquer resposta diferente do que induz a pergunta está errada e/ou é absurda. Normalmente essas perguntas contém distorções de argumentos apresentados anteriormente pelo adversário.

Essa é a tática que o idiota útil utiliza na hora do desespero, quando o debatedor utilizou argumentos baseados em fatos (históricos e/ou recentes), razão e lógica, tudo aquilo desprezado pelo idiota útil. Nesse momento, por causa da própria incapacidade intelectual e argumentativa, pois se acha detentor da verdade absoluta e que por isso é capaz de debater sobre qualquer assunto sem ter o mínimo conhecimento prévio sobre ele, ou ter estudado (por isso torce o nariz para apresentação de fatos históricos, pois foge deles para continuar enganando a si mesmo), o idiota útil percebe que é melhor fugir que continuar apanhando.

Além disso, no debate ele é obrigado a ler as informações e argumentos dos quais foge (o idiota útil faz questão de não ler nada sobre os ”inimigos”, nem sobre quaisquer fatos históricos que contrariem sua visão romântica do comunismo e do socialismo, pois sabe que dificultará mentir para si mesmo e manter em sua mente a farsa que lhe dá a sensação de conforto e ser parte de algo ”divino”, ou seja, seu mundo de Alice pode desmoronar e precisa mantê-lo a qualquer custo.) e, portanto, além de aumentar seu ódio contra o debater que ousa destruir seu mundo imaginário, sabe que precisa continuar se mantendo distante de todas essas informações se quiser continuar se enganando.

O autoengano serve para o idiota útil como a heroína,o ecstasy e outras drogas servem para os usuários, ou seja, para causa aquela sensação de prazer ilimitado, mas como essa sensação dura pouco há a necessidade de alimentar esse autoengano, assim como o usuário necessita utilizar mais e mais drogas.

Quando foge do debate, deixa frases prontas de despedida, como: ”este debate não levará a lugar algum, boa sorte para você”, ou ”não é possível debater com alguém que está cego pela própria ideologia, adeus” (esta ele fala como se estivesse olhando para um espelho, pois é o verdadeiro cego ideológico). É nítida a intenção de desmoralizar o adversário e ”sair por cima”, como se fosse superior e o outro inferior.

Por isso não basta argumentar logicamente e racionalmente com o idiota útil, mesmo havendo embasamento teórico, prático e em fatos históricos ou recentes. É necessário expor a tática desonesta dele. Exponha a ”tática do pombo” e ele se enforcará. Se não disser nada, então, o desmoralizado (além de refutado) será ele, se tentar rebater, ou seu ódio aparecerá claramente, ou se complicará ainda mai. Em ambos os casos cai a máscara do idiota útil e sua credibilidade para debates futuros ficará negativamente comprometida.

No mínimo, ele pensará muito antes de tentar utilizar esta tática de novo e evitará todo e qualquer debate. Esse é o momento propício para exposição dos fatos e apresentação da argumentação lógica e racional que desmistifica o idiota útil e destrói as falácias utilizadas para esconder as verdadeiras faces do comunismo e do socialismo. Também abre mais espaço para a pluralidade de ideias, para a disseminação do liberalismo e do conservadorismo e a quebra do monopólio esquerdista.

Portanto, quando o idiota útil fugir do debate não permita que ele o faça deixando a entender que é um ser superior e você um inferior com o qual é impossível debater devido a cegueira ideológica (está chamando você do que ele é; exponha isso também). 

Roberto Barricelli

Roberto Barricelli

Assessor de Imprensa do Instituto Liberal e Diretor de Comunicação do Instituto Pela Justiça. Roberto Lacerda Barricelli é autor de blogs, jornalista, poeta e escritor. Paulistano, assumidamente Liberal, é voluntário na resistência às doutrinas coletivistas e autoritárias.