Jornal Nacional contra o Brasil

JN

O povão não lê a Folha de São Paulo, nem o Estadão, nem o Globo porque cada exemplar custa o preço de uma passagem de ônibus. Se não tem dinheiro para jornal, obviamente não tem dinheiro para assinar a Veja, ou a Época, ou a Isto É, ou a Piauí. O povão não lê os tantos blogs sobre política e economia que excitam a classe média porque não têm tempo para isso. Não acompanha a Globo News ou a Band News porque trabalha o dia todo. Não assiste o Willian Waack no Jornal da Globo porque o programa vai ao ar tarde demais. O povão tira suas conclusões a partir do que assiste no Jornal Nacional. O Jornal Nacional é a principal fonte de informação da maioria dos brasileiros.

Por muito tempo, não me deixei contaminar pelo frenesi anti-Globo porque sempre respeitei que os meios de comunicação privados tivessem seus posicionamentos em relação aos mais diversos temas. Não me deixava contaminar pelo frenesi anti-Globo porque, mesmo discordando da maioria de suas inclinações, eu reconhecia que a emissora prestava algum serviço público em suas novelas ao abordar temas como transplante de órgãos, câncer de mama, síndrome de down, autismo, racismo, homofobia, religião etc. A verdade é que a Globo contribuiu mais para algumas causas do que todas as iniciativas do governo até hoje. Porém, por trás dessa verdade existe outra verdade. Uma verdade dolorosa. Uma verdade vergonhosa. Uma verdade que vem se transformando num imenso absurdo através do Jornal Nacional.

Estamos num dos momentos mais delicados da história do Brasil. Excluo, só por um momento, a degradação da política brasileira. Refiro-me, nesse texto, apenas ao eminente colapso econômico. Uma situação que interfere diretamente na vida de todo cidadão, principalmente na vida dos mais pobres. Pessoas comuns estão perdendo empregos. Pessoas comuns estão perdendo clientes. Pessoas comuns estão perdendo suas únicas fontes de renda. Os salários de pessoas comuns estão sendo corroídos por uma inflação que sabemos que é muito maior do que o anunciado.

Leia também:  Um líder radical é o melhor combustível para a oposição

Até uma semana atrás, o Jornal Nacional noticiava tudo isso. Noticiava a duplicação do índice de desemprego e da inflação em um ano. Noticiava que o Brasil perdeu 3% de seu PIB no mesmo período. Noticiava o resultado das pesquisas que indicam o pessimismo do comércio, da indústria, do mercado financeiro e até da dona de casa. Até uma semana atrás, o Jornal Nacional noticiava o desmoronamento da economia brasileira. Parou de noticiar desde quando foi aceito o processo de impeachment contra Dilma.

Desde então, o Jornal Nacional atua como advogado de defesa do atual governo. Reproduz os discursos de Dilma até três vezes num mesmo noticiário. Destaca os aplausos dos militantes petistas, as desculpas esfarrapadas de seus líderes e as falas ultrajantes de Lula. Ontem a noite, o telejornal noticiou que uma manifestação da CUT em favor de Dilma, no Rio de Janeiro, contou com 10 mil pessoas, sendo que as imagens aéreas mostravam que não havia nem um décimo desse número.

As poucas entrevistas com pessoas que pedem o afastamento de Dilma foram editadas com o cuidado necessário para que nenhum argumento fosse exposto de tal forma que um telespectador mais humilde pudesse compreendê-lo. Não foi feita uma única entrevista com os Juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Junior e Janaína Paschoal, autores do pedido de impeachment. O Jornal Nacional não mede esforços para fazer o povão acreditar que o processo de impeachment é obra de Eduardo Cunha, cria situações para mostrar os membros do governo dizendo que tudo não passa de um golpe do PSDB, “inconformado com o resultado das urnas”, oferece todo o espaço necessário para o governo dizer que Dilma resolverá a crise que ela mesma criou.

Leia também:  Uma olhada no ranking da Times Higher Education de melhores universidades do mundo

Desde que o pedido de afastamento de Dilma foi aceito, o maior telejornal brasileiro não se deu trabalho de explicar a relação entre a irresponsabilidade fiscal dos últimos anos com a atual crise econômica. Se o Jornal Nacional tivesse um mínimo de honestidade jornalística, repetiria todos os dias o seguinte: O desrespeito da Lei de Responsabilidade Fiscal pode levar o governo a ficar sem dinheiro para pagar os salários de servidores e pensionistas. Não diz isso porque sabe que, dessa forma, o povão entenderia perfeitamente os crimes que recaem sobre Dilma.

O Jornal Nacional não se importa que um possível arquivamento do pedido de impeachment significaria um duro golpe na moral dos brasileiros – o povo que grita “Fora Dilma” sendo obrigado a ver o desejo dos partidos da extrema-esquerda brasileira prevalecer.

Então, eu me lembro de que, dois dias atrás, num mesmo bloco foi noticiada a “vitória da oposição” na Venezuela e a vitória da “extrema-direita” na França, com direito a carinha de nojo do Willian Bonner. Isso é a Globo. Isso é o Jornal Nacional. Sempre dando conotação pejorativa a tudo o que não é esquerda. Evitando ao máximo relacionar o chavismo com extrema-esquerda. Esforçando-se ao máximo em impedir que as pessoas correlacionem o colapso econômico na Venezuela com as ideias socialistas. Fazendo o diabo para que o telespectador não se dê conta de que o PT é um partido de extrema-esquerda e que desde que assumiu o poder tenta impor sua própria revolução bolivariana.

Leia também:  O atentado contra Bolsonaro: uma consequência do “ódio do bem”

A verdade: A Rede Globo se tornou o maior veículo de publicidade do socialismo.

Continuo defendendo que todas as empresas privadas de comunicação tenham liberdade para tomar partido sobre qualquer assunto, mas espero que os brasileiros um dia enxerguem a cumplicidade do Jornal Nacional no verdadeiro golpe que está em curso, o golpe do PT contra o Brasil.

A Rede Globo, através do Jornal Nacional, está ajudando o PT a rasgar a Constituição do Brasil. Está tentando tirar de 200 milhões de cidadãos o direito de punir um partido que vem a 13 anos dilapidando a economia do país.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!

Comentários

  1. Texto muito bom!

  2. Quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha? O brasileiro médio é idiotizado porque as informações não chegam, ou porque as informações não chegam é que fica idiotizado?

    • Rafael,

      O meio social COLETIVO pode influir no desenvolvimento dos INDIVÍDUOS.
      Aliás, esse é o miolo das teorias esquerdópatas.
      Segundo o ponto de vista deles, minorias no poder condenam maiorias (luta de classes), as informações não chegam, e por isso o brasileiro médio ficaria idiotizado. Como fala o Molusco Apedeuta: A culpa é das ZELITES, e o povo sempre é a vítima.
      É claro que tal ideologia ganha adeptos no mundo todo, pelo seu hipnótico apelo emocional, irracional e até romântico, onde os supostos indefesos tentam se proteger dos supostos abusadores. É um tipo de religião, onde o povo sempre é vítima, jamais é culpado de nada, é só pagar o dizimo ao Estado, obedecer a ditadura do proletariado, e todos os pecados serão absolvidos.

      Porém, onde está o verdadeiro problema dos esquerdópatas?
      A esquerdopatía é produto de um contraciclo, uma REAÇÃO ou EFEITO natural a um ciclo social prévio na história do mundo (feudalismo, despotismo, monarquias autoritárias etc). Teve seu auge a partir de 1910, e espalhou-se pela Ásia e Europa (justamente onde o feudalismo e monarquias despóticas tinham feito tantos estragos).
      Porém, como REAÇÃO, como EFEITO, como CONTRACICLO, a esquerdopatía é “per se” uma SELETIVIDADE. Traduzindo: A esquerdopatía é um tipo de ignorância, uma parcialidade, subjetividade etc.

      A falácia esquerdópata está lotada de sinistras omissões, por exemplo:

      1) O COLETIVO pode influir nos INDIVÍDUOS, tanto para o BEM como para o MAL. Absolutamente nada garante que o COLETIVISMO sempre velará pelo bem, pelo melhor, pela evolução do INDIVIDUO. Se observamos o que aconteceu na Venezuela, Cuba, União Soviética, China, Coreia do Norte etc… teremos fartos casos de COLETIVISMOS que causaram apenas involução.

      2) A história do mundo e da natureza humana, no tempo provou que todos os COLETIVISMOS acabaram se transformando em minorias (ditadores) que submetiam as maiorias. Isso ocorre porque da teoria à prática, do ideal ao real… há um abismo! Esquerdópatas no papel são lindos, já na realidade… são um trágico fracasso. No Brasil, o caso PT é prova recente disto, onde nos últimos 13 anos surgiu uma nova ZELITE (populista / demagógica), que subjugou os brasileiros. Explorando a pobreza, a miséria, as necessidades do COLETIVO, uma minoria tomou o poder, sequestrou o Estado, cooptou a máquina pública… e escravizou o Brasil inteiro até o dia de hoje.

      3) O COLETIVISMO é plausível de métricas, estatísticas, quantificações, previsibilidades, cálculos, engenharias sociais etc. Porém, o INDIVIDUO não! É totalmente instável, volúvel, volátil, imprevisível, dinâmico, inconstante etc. Em termos de Heisenberg, o INDIVIDUO é o componente do PRINCÍPIO DA INCERTEZA na equação da vida. Isto ocorre em todos os planos, sejam Matemáticos, Físicos, Biológicos, Sociais etc. Veja por exemplo que em uma Favela, não existe 100% de probabilidade de que todos os seus moradores serão traficantes de drogas. De 100% dos macacos (primatas), há 7 milhões de anos atrás uns poucos INDIVÍDUOS diferenciam-se, e desceram das árvores para caminhar no chão. É falso afirmar que sempre 100% dos INDIVÍDUOS serão determinados pelo COLETIVISMO ou pelo meio social.

      4) O COLETIVO tem uma tendência a se acomodar (status quo). O oposto ocorre nos INDIVÍDUOS (efeito borboleta). Isso algumas vezes gerou grandes câmbios sociais, tecnológicos, intelectuais etc no ser humano. De fato, há muitos exemplos de COLETIVISMOS que submeteram INDIVÍDUOS, porém, há também de INDIVÍDUOS que transformaram (para bem ou para mal) COLETIVOS. É um erro superestimar o COLETIVO, e subestimar o INDIVÍDUO.

      Conclusão:

      A Teoria Darwiniana da Evolução das Espécies, reconhece o poder do meio ambiente, como fator de adaptação dos indivíduos. Neste sentido, a falta de informações poderia ser a causa do brasileiro médio ficar idiotizado.

      Porém, a mesma teoria Darwiniana, reconhece também a existência das MUTAÇÕES que acontecem em cada INDIVÍDUO. E neste sentido, é o brasileiro médio idiotizado, a causa pela qual há falta de informações.

      Desde um ponto de vista científico, histórico, sociológico, antropológico, psicológico etc, é irrefutável que o INDIVIDUO sempre tem opções na vida (ainda que negue ou que ignore). Bem como também, o INDIVÍDUO sempre foi, é e será responsável pelas suas opções, e pelas consequências dos resultados das suas ações ou falta de ações.

      O brasileiro médio sempre teve a opção de se informar ou não se informar.
      E sempre escolheu… não se informar.
      Não por culpa do meio social, da política, das TVs, da sonegação de informações etc. E sim, o brasileiro médio escolheu não se informar… simplesmente porque era mais fácil! A opção de vida do brasileiro médio sempre é pelo mais fácil… pelo mais imediatista… a felicidade a qualquer preço, ainda a custas da ignorância.
      Se o brasileiro médio de um dia pra outro começasse a estudar, ler, analisar, pesquisar, questionar, comparar etc… uma de duas: Ou se suicidaria por ter que enfrentar a verdade e se olhar no espelho (e perceber que não aquilo que achava que era), ou simplesmente deixaria de ser brasileiro e passaria a ser escandinavo, anglo-saxão etc.

      A essência do brasileiro médio é ser feliz a qualquer custo, ainda morrendo como ignorante. É mais fácil se viver sem informações, sem estudar, sem questionar etc. É mais fácil ser feliz através da ignorância, do hedonismo, do consumismo, do imediatismo, impulsividade, religiões duvidosas etc.
      E não critico isso! Respeito! Cada um é livre de viver como quer.

      Apenas discordo daqueles que atacam os esquerdópatas, justamente defendendo argumentos esquerdópatas, alegando que os canais de TV são responsáveis pelas informações, idem com as Escolas, o Estado, Governo, Instituições etc… pra eles todos os fatores externos são responsáveis de tudo, menos os INDIVÍDUOS. Enquanto tenhamos paternalistas, donos da verdade, autoritaristas, fascistas, aqueles que acham que sabem o que é bom ou melhor para os outros… sempre teremos involução, primitivismo, subdesenvolvimento etc.

      Se os próprios brasileiros Liberais, ou Libertários, ou chamemos eles de Centro etc, se eles mesmos argumentam e defendem as teorias de que os INDIVÍDUOS são vítimas e não tem responsabilidade de nada… isso não só prova que Brasil está condenado ao subdesenvolvimento, como ademais também prova até onde profundamente o Estatismo, o Coletivismo, A Sovietização etc estão arraigados na idiossincrasia dos brasileiros… ao ponto tal de que até os mais Liberais defendem as mesmas ideologias esquerdópatas.
      Repito: Não é casualidade que a Constituição brasileira seja esquerdópata, e que 90% dos partidos políticos sejam esquerdópatas… todos são reflexo da média dos brasileiros, incluindo os supostos Liberais, Libertários etc.

      É só visitar blogs, sites, fóruns de Centro ou de Direita, para ver que não passam de esquerdópatas transvestidos, e continuam achando que o Estado, o Governo, as Escolas, os Canais de TV, as Instituições, as Empresas etc são as responsáveis da evolução dos brasileiros.

      PS: A ciência já comprovou que primeiro foi o ovo, e depois a galinha. Antes do ovo, existiu um macho e uma fêmea antecessores das aves, cuja MUTAÇÃO genética INDIVIDUAL gerou o ovo, que pela sua vez gerou uma nova espécie de ave, que transferiu seus genes para as próximas gerações, que produziram ovos.

  3. Não só politicamente, mas em todos os aspectos a Rede Globo é o maior veículo de imbecilização do país. E no caso específico do PT, a coisa é mais imunda do que simplesmente uma questão ideológica. Basta lembrar que a lobo apoiava o Governo Militar, de “extrema esquerda”, portanto, irá apoiar quem quer que esteja no poder. Pagando bem, que mal tem? Nós, que temos informação, sabemos que a Globo estava praticamente falida quando Lula assumiu em 2002. Devia mais de 3,6 bilhões de dólares na ocasião… Já em 2013, mesmo com a audiência despencando cada vez mais, conseguiu faturar R$ 14,4 bilhões – só de propaganda estatal foram mais de 6 bilhões. Duvido que não tenha o dedo do Lula nesse “milagre econômico” da Globo. De formas que a coisa vai muito além de questõe$ ideológica$.

  4. João, parabéns pelos sus textos! Saiba que você é uma das pessoas que mais desfruto ler.

    Apenas por favor, me permita DISCORDAR PROFUNDAMENTE, da sua interpretação de que a maioria dos brasileiros não acessam informações por falta de dinheiro, muito ocupados, sofredores da vida etc.

    Veja bem João, para assistir novela… trabalhador brasileiro parece não ter problemas. Nem se falar em futebol, Carnaval, buteco, compra e consumo de álcool ou drogas, sexo totalmente irresponsável (gravidez não desejada, doenças etc), religiões e cultos sem sentido etc… os brasileiros não parecem estar tendo dificuldades com todas essas questões (que consumem toneladas de tempo e dinheiro). Mesma coisa com comprar carro (sem antes estudar, ou sem sequer ter onde morar etc), ou compras de supérfluos como celulares caríssimos, tênis de marcas, relógios de grife, calças, camisetas etc (cultura da ostentação). Visite qualquer grande favela, ou até pobríssimas cidades do interior, que você confirmará que falta água, comida, educação etc… mas não faltam supérfluos, nem os sonhos de consumo idiotas, vazios e desperdiçantes. Para todas essas coisas, não falta tempo nem dinheiro ao brasileiro.

    Não me mal entenda João, sou a favor da liberdade, e que cada um faça na vida o que quiser. Apenas alego duas questões:

    1) Não procede a versão do Molusco pilantra 9 dedos, de que “nós” (não sei bem quem são os tais “nós”) odiamos ver os pobres e miseráveis no poder ou consumindo… não João! Nada a ver! Não se trata disso! E sim, trata-se em diferenciar CONSUMO RESPONSÁVEL de POPULISMO e DEMAGOGIA.

    2) Brasileiro não lê, não estuda, não acessa notícias etc porque não quer!… porque é pilantra, malandro… porque é preguiçoso, bunda mole… porque é emocional, impulsivo, irracional, hedonista, improvisador… porque adora mamar nas tetas do Estado… porque é religioso e ignorante… porque vende sua alma por centavos… porque etc etc etc. Não faz parte da idiossincrasia do brasileiro o estudo, a leitura, a intelectualidade, a análise, o entendimento das causas, a planificação do futuro, a pesquisa, a comparação, o pensamento crítico, a fundamentação, a competitividade, o empreendedorismo, a liberdade, a individualidade, o desenvolvimento do potencial, o acompanhamento de notícias, economia, política etc.

    O lixo dos políticos e do sistema político brasileiro… são um reflexo dos brasileiros (assim como também é nossa Constituição, totalmente irresponsável, gastando mal e mais do que se produz no país). Tudo é reflexo do brasileiro.

    Mesma coisa com a TV!… é um reflexo do macaquismo intelectual dos brasileiros. Você encontra lixo na TV, porque é isso que há na cabeça da maioria dos brasileiros… e é isso que eles querem consumir (Ibope).

    Veja o contrário João: Se houvesse mais programas jornalísticos sérios, com mais análise, com mais debate etc… ou se houvesse programas intelectuais (não uso a palavra “mais”, porque não há programas intelectuais)… a maioria não os assistiria! Não culpo a Globo, SBT, Record etc por passar o lixo que passam, porque se fizessem o certo, perderiam audiência. E desde o ponto de vista do LIBERALISMO, o mercado é soberano e não se discute! Não há como criticar os políticos, a política, a mídia etc. O único culpado é, sim, o brazuca. Se eles querem consumir lixo, então é lixo que terão. Afirmar o contrário, é sovietizar as interpretações, achando que a mídia, ou os políticos e a política etc sabem o que é bom para o povo, sabem o melhor, e portanto são obrigados a ir contra o mercado de consumo… terrível! Nada mais falso!

    Traduzindo: No Brasil se você é o Capeta, mas oferece Bolsas Esmolas, aumento do salário mínimo (apesar da baixa produtividade e da implosão da economia e do futuro do país), aposentadorias para todo mundo, mais férias e feriados, crédito farto subsidiado com bens públicos, subsídios, favoritismos, empreguinhos cabide etc etc etc… ainda que você seja o Capeta, você vai ganhar todas as eleições (é o caso PT).

    Os brasileiros são primitivos, imaturos… não há valores de sociedade, muito menos de pátria, nação ou civilidade.

    E nosso país, nada mais é do que um reflexo da maioria dos brasileiros.

    • Perfeito, Decopi. Gostaria de ter escrito esse seu comentário. Concordo 100% contigo. Parabéns.

    • Não justifica um jornal esconder os fatos e dar interpretação enviesada às notícias.

      • José:

        1) Sua verdade não é a verdade dos brasileiros. Os jornais mostram a verdade que os brasileiros querem ver ou podem entender. Brasil não é Escandinávia. Brasileiro está mais para Afegão do que para Escandinavo. Não culpe os jornais por cozinharem o arroz com feijão que os brazucas todo dia pedem pra comer.

        2) Ainda supostamente na teoria de que os jornais escondem fatos, enviesam notícias etc, o que de verdade não se justifica é que os brasileiros nunca se interessem nas verdadeiras notícias, nas verdadeiras informações, nos verdadeiros fatos etc.

        O que não se justifica de verdade é que os brasileiros não leiam, não pesquisem, não questionem, não critiquem, não procurem saber as notícias que são ocultadas ou enviesadas etc. De fato, se o brasileiro fosse interessado na verdade, os porta-vozes da oposição explodiriam no Ibope. Se o brasileiro quisesse saber a verdade, novos jornais seriam criados, melhores jornalistas seriam formados, haveriam mais programas de debates políticos, cultura, arte etc. O jornalismo de um país, assim como sua cultura, intelectualidade, arte, política etc… é um reflexo da sua própria população. Alguns países produzem prêmios Nobel, outros produzem jogadores de futebol (repúblicas bananeiras). Gostaria que fosse diferente, mas assim é o mundo.

        O que de verdade não se justifica é que mais de 51% da população, por 16 anos seguidos votou e apoiou o governo mais populista e demagogo da história do Brasil.

        O que não se justifica é que esse 51% que votou nesses desgraçados, jamais saíram a manifestar contra esse governo, e por um sanduba de mortadela ainda participam em manifestações a favor.

        O que não se justifica é que esse 51% nunca pensa no futuro, apenas no presente, e naquilo que pode levar hoje para seu bolso (bolsas esmolas, aposentadorias, feriados, subsídios, férias, greves etc).

        Não adiantar botar a culpa na TV, nos partidos, na Constituição, na corrupção etc.

        A raiz da coisa é mais embaixo… na idiossincrasia do brasileiro, sua ignorância, imaturidade, primitividade etc… total falta de interesse nos estudos, na verdade etc.

        Nada mudará no Brasil, ou mudará muito lentamente, enquanto o brasileiro continue focado em futebol, samba, carnaval, bolsas esmolas, malandragens… pão e circo… a Roma de ontem, e a Grécia de hoje.

        Isso vale também para o Impeachment.

        Não se resolve no Congresso.

        Se resolve apenas na rua.

        E os covardes e passivos brasileiros analfabetos, não saem às ruas, ainda apesar de que apanham com a maior corrupção do mundo, inflação, desemprego, dívida a caminho do descontrole… um futuro cabuloso para eles e seus filhos.

        Citando Ayn Rand:

        Quando você perceber, que para produzir precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto-sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.

        • Não chego a discordar de você, mas a falsa informação e o enviesamento dos comentaristas, sem o contraponto do debate efetivo e do confronto de opiniões opostas, leva ao resultado que você vem expondo.

        • Eu concordo com os dois. De um lado, o brasileiro só se interessa por assuntos rasteiros. Se você passar para as pessoas o último vídeo de besterol que está bombando na net todo mundo vê, mas se compartilha uma notícia importante veiculada por algum meio menos tendencioso, muitos deletarão sem ler… Embora o brasileiro tenha sido forjado para isso nos úiltimos anos. Nas escolas, não se trabalham notícias de jornal. Aliás, até a simples leitura de livros infanto juvenis que eram tão utilizadas no passado foram praticamente abolidas da grade curricular nas escolas públicas. O Estado até distribui livros para as crianças, mas os professores não exigem a leitura, como antigamente, em que éramos obrigados a ler livros para fazer provas e isso acabava estimulando o gosto pela leitura… Claro, tudo isso aliado ao fato de boa parte dos professores já terem formação deficitária. Eu tive colega na faculdade que tinha sérios problemas de escrita e se tornou professora de português! Enfim, a educação é um aspecto. Mas por outro lado, temos, sim, meios de comunicação tendenciosos e idiotizantes.

          • Aqui a questão em debate é:

            Quem educa? Quem informa, protege, cura, produz etc?
            O individuo?
            Ou as Instituições / Estado / Máquina Pública / Governo etc?

            Como funciona o processo?
            De dentro para fora? É o individuo que faz seu entorno? (Individualidade).
            Ou de fora para dentro? É o entorno que faz o individuo? (Coletivização).

            Não sou anarquista, nem libertário. E tenho um pequeno grau de tolerância para aceitar a existência do Estado. Porém, deve ser MÍNIMA, e reduzida a funções de mediação ou fiscalização. Portanto, claramente defendo a ideia da INDIVIDUALIDADE, e acredito que os processos deveriam ser de DENTRO PARA FORA.

            Nesse contexto, jamais delegaria em 1 canal de TV, a responsabilidade de me informar.
            Idem com a Educação, as Escolas, e nem se falar das Públicas.
            Não delegaria nada a uma Instituição, seja pública ou privada. Como INDIVIDUO, manteria sempre uma atitude crítica.

            Se vocês continuam achando que o brasileiro vai evoluir graças ao Estado, Educação Pública, os Canais de TV abertos etc etc etc… então Brasil está condenado ao subdesenvolvimento.

            Não é o Brasil que faz os brasileiros. São os brasileiros que fazem o Brasil… fazem seus políticos corruptos, sua Educação vagabunda, seus canais de TV bregas, banais e superficiais etc.

            É um processo Darwiniano de evolução a partir da seleção natural: Ninguém nega o poder do meio ambiente como fator impulsionador da adaptação. Porém, são aqueles indivíduos que transcendem ao seu meio ambiente, os que de verdade evoluem.
            Há 7 milhões de anos atrás na África, alguns macacos estavam muito confortáveis e bem adaptados à selva. Porém, ainda assim, outros macacos decidiram experimentar o desconforto de descer das árvores, e começar a caminhar. Conclusão: Os macacos adaptados, continuam macacos até hoje. Os outros, evoluíram no atual homo-sapiens.

            Em analogia, se o brasileiro como individuo fosse mais evoluído, por consequência teríamos melhores políticos, escolas, canais de TV etc. Enquanto continuemos delegando essa função a fatores externos, não somente nada bom acontecerá, como pior, continuaremos projetando as culpas e responsabilidades nesses fatores externos (Políticos, Escolas, TVs etc). Na verdade eles são apenas os EFEITOS. Os brasileiros são as CAUSAS.

            Não é o mercado que cria o consumidor.
            É o consumidor que cria o mercado.
            Se o consumidor não evolui, o mercado jamais evoluirá.

            Em republiquetas bananeiras como Brasil, a Rede Globo bomba de audiência, simplesmente porque fabrica a merd@ que os consumidores querem consumir. Não há como se exigir da Globo, coisas que os consumidores brasileiros não exigem nem consomem. Isso só ocorre nas nações soviéticas!
            Mesma explicação para a política: Não importa que Lula seja o Capeta… ele é a cara dos brasileiros.
            Idem com a Educação vagabunda… é a cara do brasileiro: Não ler, não pesquisar, não entender, não questionar, passar de ano sem aprender nada etc. Quais são as Faculdades que bombam no Brasil? Aquelas onde não é necessário estudar, carreiras mixurucas como administração, lei do mínimo esforço. Carreiras como Engenharia, Matemáticas, Física, Química etc… nem pensar! A maioria dos brasileiros acha isso coisa esquisita de nerd.

            Há países e sociedades piores do que a brasileira? Sim! Claro que há!
            Mas na vida, a gente nunca se compara com o pior. Contra o lema do PT, não é porque outros são ruins, que o brasileiro tem que ser ruim.

            Brasileiro tem monte de excelentes modelos para copiar. Porém, prefere virar uma Grécia… prefere não se informar, não estudar, não trabalhar, mamar nas tetas do Estado etc… e no país quem melhor representa isso é a esquerda, o socialismo, o comunismo, o PT, o populismo, a demagogia, o bolivarianismo… e tantas outras escórias.

            Não há como culpar à Globo, Escolas, PT etc… porque são a cara do brasileiro.
            Os povos têm os governos que merecem… as sociedades, educação, saúde, políticos, canais de TC etc que merecem.

            Quem vai mudar e melhorar o Brasil infelizmente não será o brasileiro que mora no Brasil, e sim, serão aqueles brasileiros que viajam pelo mundo, estudam de verdade, aprendem e trabalham de verdade, copiam bons modelos etc… e lentamente com décadas e décadas de pequenos aportes, construirão aqui uma sociedade melhor. São eles que trazem a tecnologia, o progresso a produtividade etc. Infelizmente isto acontece muito devagar. Mas foi assim na história, que outras sociedades evoluíram. No mundo e no passado observamos o fenômeno de que quanto mais aberta uma sociedade, mais evoluída (e vice-versa). Isso ocorre primeiro na forma de comércio, depois na forma de informação, e finalmente na forma de formação (educação). As melhores sociedades evoluem porque não são burras, seus indivíduos aprendem e copiam os melhores modelos.

            São os INDIVÍDUOS que evoluem primeiro, para depois evoluírem suas Instituições.

          • Você teve o mínimo de formação para chegar a esse raciocínio. E quem não teve? Como você vai esperar que uma pessoa que teve formação deficitária (como é o caso da maioria dos brasileiros) tenha esse “espírito crítico”? Sempre digo, não foi à toa que detonaram com a educação no Brasil especialmente no pós democracia, quanto o povo passaria a ter direito a VOTO.

          • LEILAM,

            O verdadeiro ponto aqui é outro! A verdadeira pergunta aqui não é se há ou não há mínima formação, e sim, se a média dos brasileiros querem ou não querem uma mínima formação. Minha opinião é que NÃO QUEREM! Não há mínima formação porque os brasileiros não querem. Por exemplo, nas eleições de 2006, Cristovam Buarque tinha se lançado como o candidato da Educação… e somente teve 2% dos votos de todo o Brasil!

            Se bem reconheço que no país há uma minoria que não consegue ter acesso a uma mínima formação, a grande maioria SIM tem acesso a um mínimo de formação! É aí onde você confunde as coisas. Não falamos das minorias. Falamos da maioria dos brasileiros, do 51%, da média.

            Brasil tem 200 milhões de pessoas. Vamos supor que no pior dos casos 10% não tem nenhuma chance de mínima formação? OK! Coincide com os 20 milhões de analfabetos do país. Mas, e que acontece com os outros 180 milhões??????????????????

            Como você explica que Brasil tá lá embaixo no PISA, não ganha um Nobel nem pagando, não produz intelectuais com reconhecimento, nem escritores, nem pensadores, nem cientistas reconhecidos, não aporta patentes… é praticamente nula a produção intelectual brasileira no mundo. Não temos reconhecimentos nem acadêmicos, e apenas recebemos bolivianos, paraguaios e angolanos para estudar aqui. Aqueles que têm potencial, acabam fugindo e se instalando fora do Brasil.

            E como você explica, que durante 16 anos, 51% da população, nada mais e nada menos do que 100 milhões de pessoas… como podem repetidamente ter votado no governo mais corrupto, mais populista e demagógico da história?

            E como se explica que em um país de 200 milhões, quase nunca vemos manifestações de mais de 2 milhões de pessoas? Nem 1% do pais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Onde estão os 99% restantes?????? Gandhi juntava milhões na Índia analfabeta e miserável. Aqui só junta isso no Carnaval, no Futebol, no Papa, nas Pentecostais etc

            Você realmente acredita que a maioria dos brasileiros NÃO tem acesso á mínima formação? Me desculpe… DISCORDO! Acho que você nega a realidade. Acho que você não se permite admitir que a culpa do Brasil é dos brasileiros. Acho que você ainda prefere acreditar que a culpa é do Estado, do Governo, das Escolas, das Instituições, dos Canais de TV… de todos, menos dos coitados dos brasileiros. E pior, acho que esse justamente é o mesmo argumento dos esquerdópatas, culpar as elites, e vitimizar os povos.

            Os governos, o Estado, o PT etc sucateou, sim, a estrutura escolar, você tem razão! Mas não foi isso que fez com que o brasileiro seja como é. A média do pais tem, sim, acesso a uma mínima formação, mas a média do país não se interessa em formação… esse é o verdadeiro problema!… e por causa disso, as Escolas são péssimas, políticos, canais de TV péssimos etc.

            Ter boas Escolas, bons professores, tudo é ótimo. Porém, isso explica e não justifica. É o brasileiro que não se interessa nas escolas nem nos professores. Malgasta bilhões em Copas do Mundo, Olimpíadas, Corrupção e tantas outras bobagens, e não está nem aí com a educação. Você acha que brasileiro vai deixar de gastar no futebol, no carnaval, nas Igrejas etc… para melhorar sua educação?

            Pegue um adolescente, pergunte qual é seu sonho na vida, e responderá um carro ou ser jogador de futebol. Pegue o mesmo adolescente em uma sociedade desenvolvida, e perceberá que sonha com as mesmas coisas, porém, sua prioridade sempre são os estudos.

            Esqueça a Escola.
            Ofereça aos brasileiros internet grátis para ler jornais, para se informarem sobre economia, política, conflitos e interesses internacionais, história, antropologia, estatísticas, canais internacionais de TV com notícias etc… a grande média dos brasileiros vai ignorar essa oferta! Nem grátis o brasileiro procura se informar. Acha tudo isso chato.

            Faça o mesmo com livros, ofereça de graça.
            Brasileiro não vai ler.

            Respeito sua opinião, mas discordo.
            A maioria dos brasileiros não têm mínima formação ou “espírito crítico”, simplesmente porque NÃO quer, por bunda mole, porque faz parte da sua idiossincrasia a lei do mínimo esforço, ser feliz a qualquer preço, ainda que seja a custas da ignorância.

          • Também respeito sua opinião, mas continuo achando que quem não tem o mínimo de formação não tem discernimento algum. Acabaram com a educação no país, mas deram votos para analfabetos – uma fórmula perfeita para eleger esses que aí estão! E quanto à Índia, aconteceu situação semelhante aqui no Brasil quando o povo elegeu Lula. Só que infelizmente, para nosso azar, Lula não é nenhum Gandhi. Era apenas um malandro travestido de gente do povo. Um oportunista. Mas certamente as razões pelos quais o povo indiano apoiava Gandhi são as mesmas que levou Lula ao poder: o povo se identificou com uma figura popular.

    • *clap* *clap* *clap*

      Irretocável, é como eu resumo esse comentário que espelha o que eu penso.

  5. De fato, as pessoas em geral tomam acriticamente o noticiário como verdade acabadas, e vão repetindo o que viram no noticiário. Por exemplo, se este começa a destacar as denúncias contra Cunha e deixa de falar sobre as que pairam sobre Dilma, as pessoas terminam por achar que esse é o Grande Mal e se esquecem de que o que está levando o país ao caos é, na verdade, o projeto bolivariano, com o qual a presidente está ligada de modo indissociável.

    O prejuízo que essa emissora de tv acarreta aos brasileiros, inclusive às novas gerações, é imperdoável. Manipulação, deformação dos fatos – e tudo para se manter nas boas graças dos que estão no poder -, deixando o país cada vez mais pobre (em todos os sentidos), é vergonhoso.
    Mas tem-se observado que a audiência dessa emissora, sobretudo no tocante aos noticiários, está diminuindo substancialmente. Seja por outras fontes (que, conforme João Cesar expõe, as pessoas em geral ainda não têm acesso do modo que seria o ideal ou justo), seja pela própria experiência de ver discursos desmentidos pela realidade, as pessoas comuns estão deixando de ser bobinhas crédulas.
    O mundo mudou, a tv Globo não percebeu e está colhendo os frutos que plantou.