fbpx

É um escárnio!

Leio no jornal O Globo que uma mensagem enviada na última terça-feira à Assembleia Legislativa (Alerj) pela desembargadora Leila Mariano, presidente do Tribunal de Justiça (TJ), prevê a concessão de uma bolsa de até R$ 7.250 mensais para financiar a educação de filhos e dependentes de juízes e desembargadores do Rio entre oito e 24 anos de idade. Se for aprovado na íntegra, o benefício pode causar, apenas este ano, um impacto de R$ 38,773 milhões aos cofres públicos… Está previsto também o benefício para os servidores do Judiciário fluminense.

A maioria dos magistrados recebe cerca de R$ 30 mil mensais brutos de vencimentos. No caso dos servidores, o auxílio será, no máximo, igual ao valor do maior vencimento básico da categoria, R$ 3 mil. Numa tabela anexa ao projeto, o TJ mostra que, para o ano que vem, a previsão de gastos é de R$ 128,877 milhões, e chegará a R$ 175,119 milhões em 2018. Magistrados e servidores também terão direito a receber, uma vez por ano, uma ajuda no valor de 50% de seus salários básicos para fazer cursos de aperfeiçoamento.

É estupefaciente!  Essa gente perdeu qualquer senso de realidade, enquanto eu perco o senso de humor. Estamos falando de uma gente que ganha, em média, trinta mil reais por mês, enquanto a renda per capita brasileira, ANUAL, é de pouco mais de vinte mil reais.  Depois, quando os liberais dizem que a verdadeira e única luta de classes que existe é entre os nababos encastelados no poder e os pagadores de impostos, ninguém leva a sério.

Fico embasbacado com a cara-de-pau.  Reparem que uma das justificativas para o malfadado projeto de lei é dar cumprimento ao artigo 227 da Constituição Federal, o qual diz que “é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação...”  Para completar, Suas Excelências ainda tiveram a pacholice de estabelecer no P.L que a tal bolsa educação terá caráter indenizatório, e não remuneratório.  Traduzindo o juridiquês, estará isenta de imposto de renda.  É mole ou quer mais?

Trata-se de um verdadeiro escárnio com o cidadão pagador de impostos do Rio de Janeiro.  Esperemos que a Assembléia Legislativa recuse essa barbaridade, embora eu, particularmente, não espere isso.  Provavelmente, prevalecerá o corporativismo e a troca de favores de sempre entre as duas instâncias do poder estadual.

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.

3 comentários em “É um escárnio!

  • Avatar
    13/09/2014 em 1:29 pm
    Permalink

    Nao, Joao Luiz! Se eu e o Rui Monteiro lemos a sua denuncia, outros irão ler! Sua iniciativa é muito mais poderosa e pode causar muito mais estrago que imaginamos. Vc fez o mais difícil: Primeiro investigar, depois construir o raciocínio e julga-lo sob suas bases morais e, finalmente, desenvolver um texto decente! quanto tempo dedicou a isto? Sugiro que encaminhe a magistrada autora da ideia que ela retire a proposta por conta própria antes que repercuta na grande mídia, para não manchar sua “bela trajetória de carreira” (se quiser, assino como vc). Caso se recuse, proponha campanha aqui pelo facebook colhendo likes para encaminhar a oposição na Câmara. Tem que botar no ventilador!
    Parabens!
    Mauricio Boia.

  • Avatar
    12/09/2014 em 9:16 pm
    Permalink

    Na minha modesta opinião o Brasil entrou por um caminho que vai desaguar em uma guerra civil,de consequências imprevisíveis.Essa briga das classes chamadas “dominantes” e o pagador compulsivo de impostos não é nova.O Brasil sempre foi um país de desigualdade social e de injustiças inomináveis.Agora está aumentando a diferença entre os dominantes e os dominados.Uma hora a corda vai arrebentar e aí vai morrer muita gente.Nossos políticos se bandearam para a corrupção geral.Nossos governantes são os piores.O Brasil é um país dominado por banqueiros e donos de empreiteiras,juntamente com uma classe política das piores do mundo..Nossas FORÇAS ARMADAS são como substantivo abstrato…a gente sabe que tem mas não consegue ver….Vai ser isso até a corda arrebentar…aí o bicho vai pegar……

  • Avatar
    12/09/2014 em 2:03 pm
    Permalink

    João Luiz, talvez você saiba, em1968, época em que os escândalos de assalto aos cofres públicos, embora estivessem sujeitos à rigidez do regime militar, eram infinitamente menores em quantidade e em volume de recursos, comparados ao cenário atual da República Petista do Brasil, Stanislau Ponte Petra (Sérgio Porto) exclamou em tom de profecia, interpretando com nítida preocupação um dos maléficos efeitos do jogo do poder: “Ou restaura-se a moralidade ou locupletemo-nos todos”. Imagine o que diria, caso vivo estivesse hoje.
    Muito bom, você acertou no novo conceito de “luta de classes”. Espero que em futuro breve os contribuintes brasileiros decidam se unir e derrubar do poder os “nababos encastelados no poder” e seus aliados.
    Nosso país está passando por uma já longa fase de deterioração social múltipla na qual destacam-se as
    evidências de que o paciente deve ser submetido com premência a várias cirurgias corretivas, de preferência por pessoas decididamente unidas e comprometidas com um destino nacional de felicidade para nosso povo.
    Em um bom português, está chegando a hora de acabar com a sacanagem, porra!

Fechado para comentários.