fbpx

E há quem diga que Vargas não é fascistoide…

Hoje é dia 2 de dezembro, aniversário de um dos piores golpes à democracia brasileira em todos os tempos, porém ofuscado pelo louvor heroico ao maior ditador brasileiro da história, o senhor Getúlio Dornelles Vargas.

Por meio do Decreto 37, Vargas extinguiu todos os partidos políticos brasileiros, dando a cartada final contra a democracia brasileira que ele ao menos fingia existir em seu mandato, uma vez que já havia solapado o Congresso e o processo legal da Constituição de 1934 a 10 de novembro de 1937.

O golpe contra a existência de partidos pode ser visto também no golpe de 1964, porém com uma versão muito menos amenizada na ocasião dos militares do que a versão de Getúlio. Getúlio extinguiu todos os partidos, inclusive evitando criar um partido único para si, porém, comparado a 64, que preservou um partido de situação e oposição, além de um Congresso nacional, mesmo que amarrado politicamente ao AI-5.

Dois dias depois, iria realizar uma cerimônia de queima das bandeiras estaduais aniquilando o federalismo nacional naquele momento, embora a cerimônia fosse apenas simbólica, o Estado autocrata do Estado Novo se consolidou por 8 anos a fio. A cerimônia inclusive pode ser encontrada no Youtube, onde Getúlio soltava jargões nacionalistas como “Não temos mais problemas regionais; Todos são nacionais, e interessam ao Brasil inteiro”, como se os problemas enfrentados por São Paulo e pela Bahia fossem os mesmos, tanto naquele tempo quanto hoje, em uma mentalidade que fora partilhada muito pela ditadura de 64.

Em uma análise pessoal, é fácil perceber o quanto o Estado Novo deu precedentes elementos similares à ditadura militar, embora esta segunda tenha sido menos fatal que a primeira (a ditadura militar teve, segundo Comissão Nacional da Verdade, 424 mortos em suas mãos; alguns estudiosos estimam que o Estado Novo tenha feito entre 4 e 8 mil). Vargas, de quem posteriormente a historiografia fez questão de limpar a barra, é definitivamente um dos maiores responsáveis pelo atraso brasileiro. Seu louvor forçado e motivado por coisas como a CLT é um plano injustificado por parte daqueles que a veem como o sumo bem da lei brasileira, afinal qualquer pessoa poderia ter realizado um compêndio de leis trabalhistas de forma democrática – e, melhor ainda, não realizaria um compêndio de leis com trechos copiados à fio da Carta del Lavoro de Benito Mussolini.

E há quem diga que Vargas não é fascistoide…

Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.