fbpx

Apoio ou oposição incondicionais a políticos ou governantes é irracional

A pergunta certa que os liberais deveriam se fazer é a seguinte: o que a rachadinha promovida no gabinete do Flávio Bolsonaro, que está sendo investigada, tem a ver com as políticas liberalizantes do governo do pai dele?

Será que não se dão conta de que rachadinhas e todo tipo de desvio de dinheiro, aquele que já havia sido desviado inicialmente dos seus donos com os impostos, só podem ser efetivamente combatidas com a redução do estado?

É óbvio que exigir a punição em se caracterizando um crime é necessário e inegociável. É óbvio também que apoiar o governo por causa das reformas é a melhor resposta para crimes como esse.

Apoio ou oposição incondicionais a políticos ou governantes é irracional. Apoiar políticas de um governo que são certas e criticar atitudes imorais desse mesmo governo não são excludentes.

Para quem foi governado por ladrões que tinham políticas nefastas, hoje temos um governante que prefere políticas republicanas e uma rachadinha de um dos filhos para ser explicada.

É óbvio também que o governo do Bolsonaro deixa a desejar se comparado com um governo idealizado como aqueles que eu mesmo defendo. No entanto, não podemos nos evadir da realidade. Governos ideais são tão difíceis de se conseguir que podemos contar nos dedos da mão aqueles que mais ou menos chegaram perto dos nossos sonhos ao longo da história da humanidade.

Bolsonaro tem suas limitações naturais, há um certo acanhamento, uma lerdeza para ir na direção certa caracterizada por políticas que devolvam aos indivíduos seus direitos inalienáveis, porém há uma força contrária, uma corrente que flui no sentido oposto que chamamos de establishment, leia-se os brasileiros privilegiados, ministros do STF, legisladores, burocratas e corporativistas em geral, que colocam ainda mais barreiras às reformas que se aspira para acabar com o rent seeking, gordas propinas, corrupções de todos os tipos.

O nosso defensor da liberdade não tem a verve de um Thomas Jefferson, pois parece mais um brucutu, a integridade de um George Washington, pois se mete em encrencas desnecessárias, nem a visão de longo prazo de um James Madison, pois afinal é brasileiro e vive do dinheiro público há décadas.

Esse é o nosso defensor da liberdade, fazer o quê? Alguém tem outro?

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.