Agonistas da Austeridade

VERONIQUE DE RUGY* Um dos principais dispositivos de sinalização para os investidores internacionais é o comportamento do governo quando está sob pressão financeira – como ele equilibra as necessidades de seus devedores com a dos destinatários de seus programas benemerentes. Anúncios de contenção de gastos e aumento de impostos dizem aos investidores que um país […]

VERONIQUE DE RUGY*

Um dos principais dispositivos de sinalização para os investidores internacionais é o comportamento do governo quando está sob pressão financeira – como ele equilibra as necessidades de seus devedores com a dos destinatários de seus programas benemerentes. Anúncios de contenção de gastos e aumento de impostos dizem aos investidores que um país está disposto a grandes sacrifícios para não deixar de cumprir com suas obrigações de devedor.

Se o governo, ao contrário, dá preferência à manutenção de programas benemerentes e à criação de empregos públicos, os investidores entendem como provável que o governo não irá honrar suas obrigações, e evitarão os títulos desse governo. É o que afirma Veronique de Rugy, especialista sênior do Mercatus Center da Universidade George Mason.

A noção de que a austeridade é ruim e o estímulo é bom se baseia na teoria keynesiana de que se o governo gasta bastante, o dinheiro gasto contribuirá para o crescimento econômico. Esse suposto aumento do produto interno bruto é o que os economistas chamam de “efeito multiplicador”. É uma bela história, mas, como a maioria dos contos de fada, não se baseia na realidade, afirma Rugy.

  • Num trabalho publicado pelo Mercatus Center da Universidade George Mason, os economistas Robert Barro e Charles Redlick mostraram que, no melhor dos cenários, um dólar gasto pelo governo produz muito menos do que um dólar investido no crescimento econômico – entre 40 e 70 centavos de dólar.
  • Barro e Redlick também observaram o impacto econômico do aumento de impostos para o custeio do aumento nos gastos públicos. Descobriram que para cada dólar aplicado em gastos financiados por impostos, a economia, na realidade, se retrai em torno de US$1.10.
  • Em outras palavras, a elevação dos gastos públicos a ser financiada com o aumento de impostos causa danos à economia.

A compreensível tentação de se agir em tempo de recessão não deve levar os legisladores a optarem por soluções improdutivas. Agora é hora de conter os gastos, não importa o que digam certos economistas americanos, alerta de Rugy.

Fonte: Veronique de Rugy, “Austerity agonistes: why left-wing economists’ warnings against austerity programs are wrong,” Reason Magazine, October 2010.

Texto na íntegra [em inglês]:

http://www.thefreelibrary.com/Austerity+agonistes%3A+why+left-wing+economists’+warnings+against…-a0236332418

Estudo:

http://www.nber.org/papers/w15369.pdf

*O texto é uma síntese do artigo de Veronique de Rugy, preparada pelo NCPA.

Tradução: LIGIA FILGUEIRAS

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal e Instituto Liberal no Patreon!