fbpx

Rodrigo Constantino é destaque no Informativo da Atlas Network

A Rede Atlas, organização sem fins lucrativos, voltada para a difusão e promoção das ideias liberais em todo o mundo, reúne mais de 400 organizações que defendem a economia de mercado em mais de 80 países, fornecendo-lhes as ideias e os recursos necessários para seu trabalho em prol da liberdade.

Entre suas iniciativas, a Atlas publica um boletim mensal relatando os 10 casos de maior destaque entre suas associadas. No boletim de março, o IL é notícia em função do trabalho de Rodrigo Constantino na mídia brasileira, mais especialmente por seu blog na Veja.

O título da matéria é Combating special legal privileges for Brazilian truckers, a seguir traduzida:

 

18 de março de 2015

caminhoneiros_manifestacao_Brazilian_TruckersCaminhoneiros do Brasil fizeram greve e bloquearam estradas por causa do aumento do valor do frete. Com o intuito de aplacar os ânimos, a Presidente Dilma Rousseff aprovou uma lei que, entre outras coisas, isenta alguns caminhoneiros de pagar pedágio. Apesar de fundamental em sociedades livres, o tratamento isonômico de todos perante a lei é frequentemente violado por membros de determinados setores econômicos que conseguem criar exceções legais unindo-se e fazendo lobby junto a funcionários do governo em busca de tratamento especial. Por esta razão, Rodrigo Constantino, presidente do Instituto Liberal, parceiro da Rede Atlas, e assíduo comentarista na mídia, escreveu recentemente uma análise criticando os benefícios especiais que o setor caminhoneiro recebe no Brasil.

“Não é difícil entender por que grupos organizados de interesse têm muito a perder ou ganhar com determinadas medidas, e por isso mesmo se unem em prol de privilégios”, explica Constantino. É um caso clássico de benefícios concentrados e custos difusos. Os motoristas de carros comuns, denominados por Constantino de “formigas sem voz política”, em última análise são os que bancam os custos dos privilégios especiais.

O Instituto Liberal tem sido, há muitos anos, uma voz indispensável em prol do liberalismo clássico no Brasil. Em 1983, o Instituto Liberal começou sua atividade com a tradução de textos liberais clássicos para o português, e a partir daí vem expandindo o tamanho e a abrangência da organização e de sua missão. Ajudou, inclusive, a promover o nascimento e crescimento de outros think tanks liberais no Brasil como o Instituto Liberdade, o Ordem Livre e o Instituto Millenium. O Instituto Liberal promove, ativamente, os princípios do liberalismo clássico através de palestras, debates, seminários e comentários na mídia.

Leia a análise completa de Rodrigo Constantino em “Caminhoneiros conseguem benefício e você paga a conta“.

Saiba mais sobre: Instituto Liberal

imagem: reprodução de foto do artigo de Rodrigo Constantino na Veja
Ligia Filgueiras

Ligia Filgueiras

Jornalista, Bacharel em Publicidade e Propaganda (UFRJ). Colaboradora do IL desde 1991, atuando em fundraising, marketing, edição de newsletters, do primeiro site e primeiros blogs do IL. Tradutora do IL.