fbpx

Que tal relembrar a epidemia de Zika Vírus, um dos grandes avanços sociais do PT?

Há cinco anos, o socialismo brasileiro estava em seu auge!

Desemprego acima de 10%. Dívida pública de 2,8 trilhões. Queda de 3,8% do PIB. Desemprego de 10%. Petrobrás com prejuízo de 34 bilhões. Fundos de pensão de estatais com rombo de 50 bilhões. Mais de 40% dos imóveis adquiridos durante o governo Dilma haviam sido devolvidos às construtoras. Cerca de 1.2 trilhão de financiamentos com subsídios a grandes empresas, a maioria delas envolvida nos esquemas da Lava Jato. Restrições nos cadastros de seguro-desemprego e na concessão de abonos salarias. Corte de 40% nas verbas do Ministério da Educação, que levou 48 das 63 universidades federais a suspenderem suas atividades. Evasão escolar de 16,2% (recorde histórico), na época em que o Ministro da Educação era Fernando Haddad. Últimas colocações em todos os rankings de educação. Cortes de 75% da verba do CAPES e metade das vagas do Pronatec. Mais de 25% dos brasileiros vivendo na linha da pobreza − no Nordeste, 43,5%. Corte de 87% da verba destinada a programas sociais.

Meio milhão de cadastros irregulares do Bolsa Família, o que significava cerca de 2 bilhões de reais pagos a pessoas que não precisavam. No Minha Casa Minha Vida, 1/3 dos beneficiados não preenchiam os requisitos do programa. Mais de 23,5 mil leitos do SUS (7% do total) estavam desativados. Mais de 60 mil pessoas haviam morrido assassinadas no ano anterior… E ainda sobrava dinheiro para a CUT, para o MST, para a UNE, para centenas de ONGs e para os artistas! Metade dos recursos da Lei Rouanet foram destinados a apenas 3% dos proponentes, não por acaso, em benefício dos artistas que lideravam a campanha contra o impeachment (links, no final do texto).

Bons tempos aqueles, que ainda provocam suspiros de saudade em muitas pessoas. Porém, há um grande avanço social promovido pelos petistas de que pouca gente se lembra: a epidemia do Zika Vírus, transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, o mesmo transmissor da dengue. Um mal diretamente relacionado à falta de saneamento básico que, naqueles áureos tempos, colocava o país na 112° posição no ranking mundial.

Dilma não inventou a dengue. Ela apenas democratizou a doença. Entre 2015 e 2016, houve um aumento de 46% dos casos. Na sombra disso, começaram a surgir os casos de Zika e logo em seguida o mais maravilhoso efeito da doença: a microcefalia.

Naquele saudoso ano de 2015, o Ministério da Saúde estimou que entre 500 mil e 1.5 milhão de brasileiros estavam infectados – o maior surto dessa doença na história do mundo! Em decorrência disso, quase 4 mil bebês nasceram com má formação cranial, a grande maioria no Nordeste, região que historicamente recebe toda a atenção da esquerda brasileira.

Sendo uma ideologia internacionalista, o petismo levou para fora do Brasil não apenas algumas dezenas de bilhões de dólares para ditaduras amigas, mas também o Zika Vírus para 23 países, quase todos latino-americanos explorados pelos imperialistas estadunidenses.

Quando a epidemia já escorria pelas feridas abertas da América Latina, Dilma demonstrou toda a sua compaixão: anunciou uma bolsa de um salário mínimo para cada família brasileira com filho nascido com microcefalia; e o Ministério da Saúde fez sua parte: pediu para as mulheres não engravidarem.

Foram tempos gloriosos para a sociedade brasileira! Nunca antes na história do Brasil, desfrutamos de tantos avanços. Então, surgiram os golpistas nazifascistas liberais de extrema direita e destruíram tudo! Que a lembrança dos áureos tempos do petismo nos motive a lutar contra o governo de Jair Bolsonaro, que vem destruindo o Brasil com suas frases.

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2016/01/veja-quais-paises-tem-mais-casos-registrados-de-zika-depois-do-brasil.html

João Cesar de Melo

João Cesar de Melo

É militante liberal/conservador com consciência libertária.