Por que o impeachment se tornou um circo entediante?

lewando impedimento

Fonte da Imagem: Uol

A frase nominal do título deste artigo parece até mesmo uma contradictio in adjectio, (contradição em termos), uma vez que todo circo é um lugar de gargalhadas, com palhaços no picadeiro; um lugar
de frio na espinha quando um trapezista dá um salto triplo sem rede; um lugar de descontração e encantamento quando bailarinas dançam graciosamente. O circo produz essas diferentes reações na platéia, mas raramente é entediante.

Como se justifica, então, a expressão circo entediante? Quem assistiu a algumas oitivas do processo de impeachment de Dilmandona sabe do que estou falando… Quanta falação, que exagero de 40 testemunhas, que repetecos enfastiantes, principalmente os da Bancada da Chupeta, com
Lindinho e as duas louras:Vanessa Grazziotin e Gleise Hoffmann.

Leia também:  3 dicas de como lidar com seu professor de esquerda

No meu humilde entendimento, bastaria que fossem apresentados relatórios da acusação, da defesa e abrir a votação a favor ou contra. Afinal de contas, o impeachment é um processo político em que
os representantes do povo têm que manifestar seu voto e nada mais. Por suposição, eles expressam as vontades de seus eleitores…

Os parlamentares não são obrigados a se basear em normas legais, tal como juízes. Mas, de modo diverso, seu julgamento se assemelha ao de um tribunal do júri. Espera-se deles que enunciem seus veredictos com base na sua “íntima convicção”, ou seja: na sua consciência moral.

Leia também:  A terceirização como ascensão social

Acho que o culpado desse tédio mortal é o STF, que por receio de replesárias ou narrativas futuras, resolveu meter o “bico” onde não era chamado e produziu um rito enfadonho e desnecessário. Por que raios não seguiram o precedente impeachment de Fernando Collor?! Este foi muito mais ágil e rápido, sem que tivesse sido menos acabado em termos de regras processuais.

A coisa fica pior ainda quando o país atravessa sua maior crise econômica e precisa resolver esta questão do impeachment o mais rápido possível, para que o Presidente interino seja Presidente tout court ou
Dilmandona volte e o Brasil também volte a ser desgovernado.

Leia também:  Os 3 erros do Novo na escolha do vice de João Amoedo

A absolvição de Dilmandona, se ocorrer, será uma desgraça anunciada! Acho que até mesmo Lula e o PT já estão pensando assim.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!