fbpx

As políticas coletivas VS a individualidade

Heitor Machado*

Individualidade

Indivíduo, parcela única e indivisível da sociedade, que raras são as tentativas de defendê-lo no Brasil. Por outro lado, políticas coletivistas estão nas notícias diariamente deslocando os cidadãos de sua personalidade única em direção à categoria de animais irracionais que andam em bando e não tem a menor capacidade de decidir segundo suas análises. Grupos de apoio aos direitos de categorias ditas com menos direitos que buscam exclusividades em detrimento de todos os outros que não fazem parte desse ajuntamento, ignorando o Artigo 5° da Constituição Federal que diz que “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”. Mas, hoje em dia, assim como em A Revolução dos Bichos, de George Orwell, um são mais iguais que outros.

Apesar disso, venho escrever a respeito justamente de como esses ajuntamentos em busca de mais direitos, acabam por segregar e atrapalhar os indivíduos de determinado segmento da sociedade, se é que podemos dizer que se eu tenho alguma característica em comum com outra pessoa, então terei as mesmas demandas que ela. Com essas considerações, então poderíamos dizer que então todos os envolvidos naquela norma de “igualdade” têm exatamente as mesmas necessidades, o que é um absurdo sem tamanho.

Caro leitor, gostaria que você pudesse se questionar quem no nosso País é o defensor dos direitos da causa asiática ou da causa alemã, ou da causa italiana, para melhorar ainda, quantos Partidos da Causa Portuguesa existem no Brasil? Esses foram grupos que vieram em ondas de imigração em várias oportunidades da história para o Brasil, cientes da necessidade de que vieram para o Brasil para poder tentar novas oportunidades de crescimento e enriquecimento que não estavam disponíveis em seus países.

Com esse pensamento em mente, que inclusive é o mesmo dos colonos que saíram da Irlanda e da Inglaterra em direção à América do Norte, estavam jogados à própria sorte e dependiam apenas da sua força de trabalho para acumular algum capital, afim de adquirir um ativo produtivo e poder se tornar um provedor que pudesse vender seus produtos e dessa forma buscar sua ascensão econômica, empregando também outras pessoas que acabam por formar a grande engrenagem de crescimento econômico.

Infelizmente, por conta da exclusão da escravidão tardia em nosso país, os negros não foram um grupo que pôde ter essa chance antes que as mazelas estatais do direito à liberdade pudessem ser desfeitas. Mas, passados mais de um século da abolição, grupo de liderança política continuam buscando intervenções estatais que dão ao grupo melhor “acesso” a faculdades públicas e cargos no servidorismo público, e o Estado vem entendendo que apenas dessa maneira, podem trazer “igualdade”. Quando está, na verdade, promovendo a segregação que obviamente se voltará contra esses grupos em forma de diferenciação dos grupos que foram eleitos para as melhorias contra os não eleitos, aumentando ainda mais ainda as diferenças sociais e fomentando a luta de classes tão importante aos criadores dessas ações

Da mesma forma, os chamados direitos trabalhistas, que em uma forma artificial de ajudá-los, atrapalha de diversas formas. O exemplo mais recente foi a aprovação do salário mínimo na Alemanha. De quantas formas, os trabalhadores que ganhavam menos que o salário mínimo, poderão ser prejudicados? Desemprego e inflação são as causas mais prováveis num primeiro momento.

As ações afirmativas, como as chama Thomas Sowell, tomadas de emoção pelos defensores de minorias, tornam a vida em sociedade mais difícil, pois aumenta a desigualdade, ao invés de efetivamente as diminuir. Essas medidas têm efeito de curto prazo, necessariamente o que os líderes desses movimentos precisam para satisfazer rapidamente as demandas de suas convicções, em seus desejos às vezes bem intencionados, mas nem sempre assim, acabam causando um mal maior. O remédio para a doença traz efeitos colaterais que parecem não importar.

O que efetivamente é necessário, é que tenhamos a eficiência da igualdade perante a lei. Sem interpretações em bando, poderíamos deixar a cargo do indivíduo se ele é ou não capaz de alcançar seus objetivos em busca da felicidade. Apesar disso, a coletividade continua assolando os que tenta ajudar e os que procuram não atrapalhar. Determinada pessoa que pertence a um grupo, não pode simplesmente não querer ou não se sentir à vontade com as ações que dizer ser melhorias para ele?

*Empreendedor e Especialista do Instituto Liberal

Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.