Por que precisamos separar o estado das ideologias dogmáticas

Vamos deixar claro, religião é ideologia. Mas religião é uma ideologia dogmática. Há outras ideologias que não são religiosas, mas são tão dogmáticas quanto qualquer religião.

Se evoluímos com a separação do estado e da igreja, o que propiciou o estado laico, precisamos evoluir ainda mais, separando o estado dessas ideologias dogmáticas seculares que pregam o uso da coerção como instrumento de política pública.

A religião em si não é nenhum problema, como também não são as ideologias dogmáticas, desde que elas sejam exercitadas para consumo individual, de forma livre e voluntária, sem que sejam transformadas em políticas de estado ou de governo.

Religiões e essas outras ideologias dogmáticas, como o comunismo, socialismo, fascismo e nazismo, são uma ameaça às sociedades quando seus defensores se valem do poder do estado para impor violentamente, através da coerção, suas doutrinas.

Leia também:  O que devemos aprender com a Venezuela

Se um dia conquistamos o estado laico, falta-nos ainda conquistar o estado liberal, onde o governo não se imiscui na vida dos indivíduos para impor a doutrina que for, seja ela baseada numa ideologia dogmática religiosa ou secular.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!