fbpx

O serviço de defesa civil poderia ser exercido de forma privada?

Print Friendly, PDF & Email

Em catástrofes que geram situações emergenciais, é óbvio que civis acudirão civis e a eficiência de suas ações vai depender do preparo individual e dos recursos que eles têm à sua disposição.

Não há diferença nenhuma entre a defesa da vida, da integridade física e patrimonial, quando a natureza ameaça a população, da ameaça iniciada por criminosos que querem violar direitos, criando também uma situação emergencial, na qual os que estão sendo ameaçados ou os que resolvem defendê-los se dispõem a agir nesse sentido.

Governos não são onipresentes, oniscientes e onipotentes para estarem em todos os lugares, agindo com presteza e eficácia. Sempre a primeira linha de defesa contra as nefastas consequências produzidas pela natureza ou pelo ser humano partirá dos civis que estiverem diretamente envolvidos com os fatos.

É por isso que devemos ser livres para agir em defesa própria ou de terceiros, seja qual for a ocasião, cuidando para que nossa ação não se transforme também numa violação de direitos.

A sociedade civil outorga ao governo o poder de agir como força acessória para que a população se dedique a criar valor no longo prazo. O serviço de defesa civil é uma atividade profissional que poderia muito bem ser exercida por particulares de forma privada e competitiva, como as seguradoras e as agências de segurança.

Faça uma doação para o Instituto Liberal. Realize um PIX com o valor que desejar. Você poderá copiar a chave PIX ou escanear o QR Code abaixo:

Copie a chave PIX do IL:

28.014.876/0001-06

Escaneie o QR Code abaixo:

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.

Pular para o conteúdo