fbpx

O liberalismo da Suécia no combate à Covid foi um mito?

Há poucos dias, li um artigo em que o autor dizia que o liberalismo da Suécia em relação aos seus vizinhos nórdicos nas políticas de combate à Covid não passava de um mito. Na época, não dei muita importância, já que tal afirmativa ia de encontro a tudo quanto eu já havia lido e pensava a respeito.

Hoje, entretanto, descobri um site cujo objetivo é justamente medir as respostas (intervenções não farmacêuticas) de cada governo no combate à pandemia.

Os dados de resposta de políticas apresentados no mapa abaixo são mantidos pela Escola de Políticas Públicas de Oxford, a Blavatnik School of Government.

Os pesquisadores calculam uma medida resumida de nove das métricas de resposta, denominada Índice de Rigor do Governo em cada momento da pandemia.

As nove métricas usadas para calcular o Índice são: fechamento de escolas; fechamentos de locais de trabalho; cancelamento de eventos públicos; restrições de reuniões públicas; fechamentos de transporte público; requisitos para ficar em casa; campanhas de informação pública; restrições aos movimentos internos; e controles de viagens internacionais.

E qual não foi a minha surpresa ao colocar os quatro países nórdicos no mapa e constatar que, ao contrário do senso comum, inclusive o meu, o ‘tracking’ de resposta da Suécia, durante todo o tempo da pandemia, esteve quase sempre acima dos seus vizinhos, ou seja, a abordagem sueca, tendo em conta as nove variáveis mencionadas, não foi menos rigorosa ou mais liberal do que a dos demais.

Neste link, pode-se colocar no gráfico qualquer dos países que fazem parte do estudo.

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.