fbpx

Pior cenário

metroSP_Corinthians_ItaqueraVamos dar início à Copa do Mundo no Brasil. Antes mesmo de disputá-la, o governo de São Paulo se depara com uma insana greve de metroviários.

Obviamente, isto não ocorre por mero acaso. O governo federal, fiador da realização da Copa do Mundo no País – o efeito Lula – quer que as autoridades paulistas, em nome da conveniência do momento, cedam à pressão dos grevistas.

Inútil concluir que, cedendo, o governo paulista se colocará de joelhos frente a outras demandas de mesma ou semelhante natureza. A população, é óbvio, não aceitará aumento de tarifa de transportes em consequência de eventual aumento de salário dos metroviários.

O governo federal se debate em um conflito: é bom ver os tucanos em dificuldades, mas é péssima a repercussão sobre os eventos locais da Copa do Mundo.

A demissão de 42 metroviários será a primeira questão que o governo paulista terá que resolver. Se ceder, o governo perde o controle e os limites.

[divide]

Veja também:

Metroviários suspendem greve em São Paulo até a estreia do Brasil na Copa

 

imagem Wikipédia: Estação Corinthians-Itaquera do Metrô de São Paulo

links atribuídos pela Editoria