Obama e os brasileiros – Algumas análises

Fonte da Imagem: Journal Times

Fonte da Imagem: Journal Times

Os Brasileiros admiram Barack Obama apenas pelo fato de que ele assiste GoT, cozinha em programas de auditório e conta piadas polidíssimas e sem graça no palanque. Nosso povo caiu como um patinho na personalidade fabricada de Obama. Assim como na cartada racial que ele tanto usou para se eleger e que os Democratas souberam inserir direitinho nas cabecinhas não só dos americanos, mas de todos aqueles que se dizem obamistas ao redor do mundo. Em suma, os Brasileiros o admiram por razões meramente fúteis e desprovidas de qualquer análise substantiva mais profunda sobre sua pessoa e sobre seus propósitos.

 Os brasileiros não gostam de Obama porque ele é um grande estadista ou por querer o melhor para o seu povo, não o admira por considerar que ele possa ter um bom programa de governo ou por ser coerente nos discursos e nas ações. Os Brasileiros gostam de Obama pelo simples fato de que, como a nossa infame história demonstrou, gostam de ser enganados por truques de marketing e de cair no conto de salvadores da pátria. É aí que mora o perigo. Nas eleições americanas de 2008, foram feitas diversas enquetes questionando os brasileiros sobre em quem votariam nas eleições da América caso pudessem participar. Obama ganhava com cerca de 97% dos votos. Isso não é normal de forma nenhuma e é sintoma de cegueira crônica, de um desprezo total pela informação e pela verdade, de uma mentalidade ovina que se deixa guiar pelas modas da mídia nacional, torcedora de carteirinha do Partido Democrata, sem desconfiar o mínimo disso.

  Aprendemos sobre os males da idolatria política e sofremos na pele as consequências disso com “o cara” de Barack Obama, Lula. O Brasil pagou um preço alto ao escolher idolatrar uma figura com uma biografia incerta e que jogava para a plateia. E cometeu o mesmo erro ao escolher idolatrar Barack Obama. Vejamos alguns fatos sobre ele que os brasileiros, em sua extensa maioria, não tem sequer conhecimento.

 1 – Ele tem fatos elementares de sua biografia omitidos pela mídia. Até hoje o original de sua certidão de nascimento não apareceu e as dúvidas quanto ao seu local de nascença permanecem. Seus advogados se negaram a apresentar a original, o que levanta todas as suspeitas de Obama não ser americano. Afinal, se ele o fosse, qual problema teria em se mostrar a certidão?

2 – Em sua juventude ele praticou condutas fora da lei, foi doutrinado por um militante comunista fanático e é filho de um extremista queniano.

3 – Ele nutre um ódio visceral por tudo aquilo que o seu país representa, já tendo concedido dinheiro público a organizações extremistas e violentas como o sindicato trotskista IWW (Industrial Workers of the World), os black Panthers, a Irmandade Muçulmana, da qual seu irmão faz parte, além de ser amigo de terroristas tais como Bill Ayers e Tony Rezko, dois dos quais Obama mantém uma relação pessoal, cujo maior objetivo de vida está a destruição da América;

 4 – Ele entregou a América nas mãos de grupos globalistas comandados pelo senhor das ONG’s George Soros, cujo objetivo principal é dissolver o poder e a influência dos Estados Unidos e implantar no país por meio de um fronte mais cultural do que político, tudo aquilo que os Americanos não querem: controle de armas, aborto, drogas, ideologia de gênero, estrito controle estatal sob a educação e a saúde, feminismo radical, etc…

 5 – Ele só abortou a emenda constitucional que lhe concederia a possibilidade de um terceiro mandato porque a América ainda tem instituições fortes que o avisaram de antemão que fariam um escárnio caso isso acontecesse. Ele foi o presidente que mais passou por cima do congresso, legislando por meio de ordens executivas, uma espécie de Decreto-Lei, onde o Presidente pode, sem autorização legislativa, emitir decretos sobre qualquer matéria ao seu bel prazer.

 Esses fatos são apenas um resumo sobre a real pessoa de Barack Hussein Obama, o que ele pretende e o que ele sonha para o seu país.

Tudo isto está amplamente documentado em livros de Olavo de Carvalho ( a inversão revolucionária em ação, o mínimo que você precisa saber para não ser um idiota), no livro “esquerda caviar de Rodrigo Constantino, nas páginas dos radialistas Rush Limbaugh, Cliff Kincaid e no surpreendente livro ” Frank Marshall Davis, the untold story of Barack Obama’s menthor” que conta a história do homem que criou obama e como foi a juventude do Presidente na Indonésia e nos Estados Unidos.

 A falta de senso crítico e de análise é um dos grandes problemas deste país. Ou o Brasileiro cresce e deixa de ser superficial em seus julgamentos, ou estamos fadados a sermos enganados por futuros Obamas que, pelo simples fato de comerem no SubWay, assistirem a séries, pedirem licença ao faxineiro na frente das câmeras, e contarem piadas sem graça, serão alçados a alta magistratura nacional sob os aplausos de todos enquanto ninguém dará a mínima para os seus planos e, por conseguinte, a liberdade desmoronará.

 

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  A greve dos caminhoneiros e o gosto pelo caos