O argumento esquerdista racista contra a redução da maioridade penal

No que tange ao debate sobre a redução ou não da maioridade penal, normalmente é possível respeitar vários argumentos de esquerda contrários a essa ideia, ainda que não se concorde com nenhum deles. Só tem um argumento que realmente é de uma falta de bom senso completo, onde acusam os defensores da redução da maioridade de […]

homicidios-300x251No que tange ao debate sobre a redução ou não da maioridade penal, normalmente é possível respeitar vários argumentos de esquerda contrários a essa ideia, ainda que não se concorde com nenhum deles. Só tem um argumento que realmente é de uma falta de bom senso completo, onde acusam os defensores da redução da maioridade de racistas que querem prender jovens negros.

De acordo com a esquerda, a redução da maioridade penal é um plano maquiavélico de brancos para botar todos os jovens negros e pobres na cadeia, pois por algum motivo que me escapa, na mente desse pessoal os brancos brasileiros tem “negrofobia”.

Esse raciocínio, além da falha lógica de achar que no país mais miscigenado, plural e não racista do mundo, alguém minimamente razoável ainda se importa com cor da pele de outra pessoa, também traz no seu bojo um verdadeiro pensamento racista nível Hitler: a de que a redução da maioridade penal só atingirá jovens negros, e que, portanto, para a esquerda somente negros são criminosos no Brasil.

De plano essa ideia nojenta poderia ser descartada, pois a cor da pele nunca pode ser um indicativo de que alguém será ou não um criminoso. Vícios e virtudes são inerentes a seres humanos, independentemente da cor da pele, e pressupor que somente negros serão atingidos pelo redução da maioridade penal é defender que negros são pré-dispostos ao crime. Em suma, é uma cretinice.

Se a lógica não é suficiente, vamos aos dados. De acordo com o Ministério da Justiça, 53% dos presos no Brasil são negros, sendo um número muito próximo da população proporcional de negros no Brasil, que de acordo com o IBGE é de 50,7%. Pelos dados do governo petista, a etnia da população carcerária reflete proporcionalmente a etnia da população não carcerária. Logo, a redução da maioridade penal atinge a população proporcionalmente à sua etnia, talvez com algum desvio em virtude das condições sócio-econômicas e comportamentais individuais das pessoas, mas não por padrões étnicos/raciais.

Agora eu faço questão de inverter a lógica desse padrão de discurso. Como diria Gabriel o Pensador: “Muitos negros roubam, mas muitos são roubados”. De acordo com o IPEA, negros são 70% das vítimas de assassinato no Brasil, portanto, um recrudescimento da legislação penal a princípio causa efeito diverso do alegado por esquerdistas: a redução da maioridade penal protege mais negros do que brancos.

Vou melhorar ainda mais essa ideia: a redução da maioridade protege os negros de bem e desprotege os negros criminosos. O que mais se exige de uma legislação penal que não seja exatamente proteger mais as pessoas de bem e trazer alguma sensação de justiça para aqueles que foram ou tiveram seus entes queridos violentados, assassinados e roubados?

No fim, resta apenas a sensação que, para os esquerdistas, negros que não cometem crimes são apenas inconvenientes que devem ser sacrificados em prol da revolução, ou seja lá o que eles chamam essa tentativa de distorção ética que eles promovem no Brasil e no mundo.

  • Asdrubal Caldas

    Li o texto, e estou plenamente de acordo com a argumentação do autor para desenvolver a sua “Tese” Porem enquanto lia, veio-me a lembrança de que, certa vez eu havia escrito um texto relativo ao assunto, sem nenhuma profundidade estatística, mas continha uma certa lógica. O referido texto foi feito com o intuito de responder à alguém que havia comentado no face, e eu achei que devia me contra por aos seus argumentos, usando até mesmo de uma certa ironia Segue o texto:

    “Papagaio repetidor, as vezes podem nos causar muita dor.”

    Seria bom se todos os que se dispusessem a emitir a sua opinião, estivessem preparado para tal. A maioria dos que postam os seus comentários, são analfabetos de pai e mãe. Parecem papagaios. Repetem somente o que ouvem. Procurem se instruir mais um pouco. Esta questão do menor delinquente, é bem mais complexa do que responder “Sim ou Não”. Teve uma postagem, em que o cidadão veio com o velho argumento de que no Brasil, a lei só vale para os três “Pês”, ou seja : Preto, Pobre, e Puta. Vou esclarecer esta história, de uma vez por todas. Prestem bem atenção, porque eu não vou repetir. Começo pelas “Putas”. No Brasil não existe lei que às prenda por serem prostitutas. Temos sim, muitas Putas presas. Mas por outros motivos. Exemplos: Trafico de drogas, assalto a mão armada, estelionato, crime de morte, de agressão física, etc. Nunca por serem prostitutas. Prossigo falando dos Pretos. Os pretos, são minorias absolutas de encarcerados. Basta observarem quando houver uma rebelião, e as Tvs. mostrarem ao vivo, que os pretos não passam de 5% dos encarcerados. Vocês é que não sabem separar o preto legítimo, dos que são produtos da mistura de raças, onde são gerados os mulatos, os morenos e os pardos. Portanto, não cometam mais este erro. Os pretos de cor definida, são pessoas de boa índole, e raramente se envolvem em confusão. Quanto aos Pobres, é impossível de se imaginar uma situação diferente nas cadeias do Brasil. Eu explico: Imaginemos o Brasil como um todo. Este todo, representaria 100%. Se fossem presos todos os ricos do Brasil, que não passam de 5%, sobrariam 95% de pobres e classe média. Então, é uma questão de raciocínio lógico. A probabilidade de surgirem criminosos na classe rica, em numero suficiente para superar a quantidade de pobres, e infinitamente menor. Sem contar que o rico quando parte para o crime, só aplica grandes golpes contra a sociedade, e tem muito dinheiro para arcar com as custas de ótimos advogados. Já nós, os pobres, quando partimos para a criminalidade, nos envolvemos em tudo quanto é estrepolia que se possa imaginar. E como normalmente o pobre só vive na pindura,como irá ter dinheiro para pagar advogado? Então, este é o motivo de ter mais pobres presos, do que ricos. Tá explicado, ou quer que eu desenhe? Qualquer duvida me ligue.