Nenhuma sociedade de cidadãos livres e independentes se desenvolve sob a tutela do Estado

Há alguns anos, me juntei a um grupo de jovens na tentativa de penetrar no âmbito das universidades estatais ou privadas para combater a doutrinação promovida pelo MEC e por professores avessos às ideias liberais.

Durante esses anos fizemos centenas de atividades entre palestras, debates, painéis e conferências oferecendo a milhares de estudantes de nível superior conhecimentos que ou lhes eram negados ou eram apresentados de forma deturpada e pervertida.

Foi através das iniciativas do Clube Miss Rand, do Instituto Atlantos, do Students for Liberty, do IEE, do Instituto Liberdade, do Clube Farroupilha de Santa Maria, do Grupo Galts de Caxias do Sul, entre muitos outros que se espalham pelo Rio Grande do Sul, que uma onda avassaladora se formou para libertar as mentes dos estudantes do domínio das ideias marxistas ou equivalentes.

Nunca como nesses tempos, o pensamento independente baseado no uso do método científico indutivo que lida com a realidade, no uso da lógica dedutiva que busca a verdade, foi estimulado no meio acadêmico brasileiro.

Leia também:  Explicando o “corte” na educação de uma forma que até militantes entenderão

É promissor, além de servir de alento, vermos que surge agora um movimento dentro do corpo docente nas universidades seguindo a mesma trilha. A trilha que leva a uma sociedade civilizada fundamentada na liberdade individual e na propriedade privada.

Não podemos ficar inertes quando vemos os jovens desse país terem suas mentes conformadas para servirem de massa de manobra para quem os quer cooptar em nome de projetos ideológicos de poder que suprimem a individualidade e a privacidade.

Os jovens têm vida própria, propósitos próprios, não podem ser domesticados para atender objetivos estabelecidos por quem só pensa em usá-los como meio para alcançar o poder.

Leia também:  Como analisar se um ser humano é ou não perfeito?

O objetivo de uma sociedade deve ser o de estimular que cada indivíduo sirva a si mesmo. Que a cooperação ou as transações necessárias sejam espontâneas e voluntárias.

Nenhuma sociedade de cidadãos livres e independentes se desenvolve sob a tutela do Estado, muito menos quando no governo há aqueles que negam que o indivíduo é um fim em si mesmo.

Parabéns ao recém formado Movimento de Docentes pela Liberdade – Núcleo RS por darem esse passo tão necessário para transformar a nossa sociedade numa sociedade melhor.

Parabéns Júlio van der Linden pela coragem de nadar contra a correnteza.

Leia também:  Treze motivos para comemorar a condenação de Fernando Haddad
Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!