Manifestantes ou criminosos?

RODRIGO CONSTANTINO*

Deu no Estadão: Manifestantes incendeiam pedágios e depredam prefeitura de Cosmópolis

No GLOBO, a manchete é similar: Manifestantes incendeiam cabines de pedágio em SP

Diz a matéria: “Cerca de 200 pessoas protestaram, das 5h30m até as 9h, contra a tarifa para carros, no valor de R$ 6,20”. Que me perdoem todos aqueles empolgados com as manifestações, que são em sua maior parte pacíficas, mas acabam dando guarida a esse tipo de coisa: Manifestantes? Protestos? Sério?

Questão de semântica, mas é que dou importância ao adequado uso dos conceitos: eram criminosos! Quem depreda instalações e incendeia cabines de pedágio comete um crime, não um ato de protesto. Quem parte para a ilegalidade e destrói patrimônio, público ou privado, não está se “manifestando”, e sim praticando um crime.

Leia também:  Os ambientalistas-melancias e o planeta vermelho

Como resumiu Thomas Sowell, mirando nos criminosos que tomaram os campus das universidades desde Maio de 68 para impor sua agenda cultural ao resto do mundo: “Note-se que ‘manifestantes’ é o termo politicamente correto para baderneiros, vândalos, ou tropas de assalto no campus”. Vamos chamar as coisas pelos seus devidos nomes?

* PRESIDENTE DO INSTITUTO LIBERAL

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  Governo Bolsonaro não pode vacilar sobre Reforma da Previdência

Comentários

  1. E o direito de ir e vir, como fica?

    É impressionante o pensamento neoliberal: por um lado prega o achatamento e diminuição de impostos, por outro defende tarifas como de pedágios, etc e tal. Fica difícil não deduzir o óbvio.