Mais dívida pública

BERNARDO SANTORO*

Vale a pena destacar duas notícias sobre o mesmo tema no mesmo Correio Braziliense, uma do mês passado e outra de ontem. Na de ontem, o jornal mostra que a dívida interna e externa bate recorde no governo Dilma. Na do mês passado, que a projeção de déficit nominal do governo Dilma será de mais de meio trilhão de reais.

A dívida pública é um câncer na origem, nos meios e nos fins.

Tem origem em gastos públicos desmedidos em bem-estar social insustentável, gastos militares, obras públicas extravagantes e favorecimentos pessoais com muita corrupção.

Nos meios, destrói a poupança nacional, estrangula a economia, cerceia nossa liberdade econômica, faz aumentar os impostos e reduz a qualidade de vida de toda a população.

Nos fins, enriquece mais e mais especuladores com laços imorais com governantes e endivida nossos filhos e netos.

Um gestor público consciente teria como missão número 01 fazer um plano de pagamento das dívidas em longo prazo. Nós já tivemos um Presidente assim, Campos Sales, ao fazer seu plano de funding loan para pagamento em 63 anos da dívida pública. Infelizmente os populistas que o seguiram desrespeitaram o acordo, mantendo até hoje o Brasil em rédeas curtas.

E enquanto isso vamos pagando uma dívida que não contraímos. Quando um Presidente sério vai encarar o problema de frente?

*DIRETOR DO INSTITUTO LIBERAL