fbpx

Governo e mercado

Petrobras_horizontal_logo_internationalO contrato assinado nesses últimos dias entre o Governo e a Petrobras tem todas as características indesejadas pelos mercados de capitais. O contrato em referência não foi sequer avaliado pelo Conselho de Administração da petroleira, caracterizando muito mais o desejo do sócio majoritário (o Estado) que os interesses da própria empresa.

O uso de estatais de capital aberto em benefício do próprio governo é, antes de ser ilegal, ilegítimo. O uso das estatais para resolver problemas emergenciais de caixa de um governo gastador passa muito próximo à ilegalidade. Fosse outro o majoritário, o mercado, com toda razão, contestaria junto às autoridades competentes (?).

O Governo, que já vem dando provas de rejeição às soluções de mercado (vide energia elétrica), não pode se dar o direito de afrontar direitos legítimos de sócios minoritários e princípios democráticos, característicos do mercado de capitais. Deveria, sim, preocupar-se em cumprir, através das estatais, os interesses do mercado de capitais, irritantemente pequeno. O não cumprimento dos rituais de mercado compromete a credibilidade do governo petista.

[divide]

Saiba mais:

Petrobras não informou a conselheiros sobre acordo bilionário com o governo

imagem Wikipédia

links atribuídos pela Editoria