Esquerdistas: não pegariam em armas?

Isso mesmo que você leu, meu caro esquerdista: pegue em armas! Há um fascista na presidência da república. O quê? Vai dizer que não sabia? Por meses alardearam para quem quisesse ouvir que Jair Bolsonaro era um fascista de marca maior. Compararam-no com Adolf Hitler e Mussolini, disseram que ele traria desgraças e ódio para as ruas e casas de nosso país. Se assim for, ele fechará o parlamento, governará por decretos e, horror dos horrores, perseguirá minorias (!). Vamos, peguem em armas se acreditam nisso tudo mesmo!

O que estão esperando? Ele acabou de vencer as eleições. Nada mais legítimo do que pegar em fuzis para defender o país e o povo que tanto prezam; nada tão leal para com suas ideologias e causas do que se armar para assegurar suas existências, não? A vida de milhões de LGBTs, negros, pobres, enfim… tudo o que defenderam! Não prometeram uma oposição digna?

E quais oposições seriam contra um governo tirânico? Não podem crer que com diálogo e compreensão fascistas sairão do poder facilmente. Vocês, que entendem mais de História do que as tias do WhatsApp, devem saber o trabalho que capitalistas e comunistas tiveram, juntos, para expulsar a praga fascista da Europa, na II Guerra Mundial. No poder, fascistas matarão minorias nas ruas e praças, perseguirão professores, inibirão toda e qualquer política contrária a eles. O que estão esperando para comprar seus fuzis?

Leia também:  A escolha colombiana e o monopólio da humanidade

Ah… não estão fazendo absolutamente nada atualmente porque… Bolsonaro não é mesmo um fascista, não? Não estão se preparando para o pior porque… a resistência de vocês não passa de pessoas sem medo de vergonha alheia fazendo passeatas, estou certo? Um exército de progressistas de faculdade com medo de uma média geral vermelha, no máximo. Muitos de vocês estão tão afastados da realidade que sequer conseguem mais diferenciar homem de mulher, crendo que tudo é uma construção social. Entendo…

Então, no fundo, jamais acharam que Bolsonaro era um fascista. No fim, era tudo uma propaganda puramente retórica para difamar seu adversário, de fato. Afinal, duvido que algum esquerdista já acreditou que um fascista estava concorrendo nas eleições deste ano. Se assim fosse, no mínimo iriam sugerir uma revolta armada contra tal disparate político. Vocês não saem para defender a democracia porque sabem que ela nunca esteve em risco. A esquerda é assim: apenas voz, sem ação. Foram-se os dias em que pegavam em armas pelo que acreditavam – hoje eles pegam em outra coisa… se é que me entendem… ou fazem outras coisas, contra o Capital. Quem diria que a Revolução sexual de 1968 afundaria tanto vocês, não (bom… ao menos quem além de uma legião de pessoas sensatas)?

Leia também:  Por que a África está progredindo

Em verdade, posso dizer, até mesmo, que já se esvaíram os dias em que a esquerda se levava a sério. Hoje, esquerdistas são um bando de mimados, chorões. Fazem militância nas universidades e acreditam que este é o suprassumo da revolta. Piada! Não passam de um bando de farsantes, travestidos de pessoas que se importam com seus próprios princípios! Mentirosos, viciados no jogo retórico, ou pior: realmente acreditavam que Bolsonaro era um fascista, mas têm medo de quebrar as unhas manejando um fuzil, para proteger a democracia que tanto amam.

Eis a esquerda atual: um projeto de uma piada ruim. Karl Marx, Lenin, Mao e Stálin se enforcariam ao ver um protesto da esquerda do século XXI. A resistência atual é sinônimo de pirraça.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  O apequenamento do Brasil na questão venezuelana