fbpx

A liberdade da ginasta Simone Biles

Simone Biles preferiu a sua integridade moral, definiu o que era melhor para ela racionalmente, não quis arriscar a sua integridade física em nome de um capricho.

A ginasta americana de 24 anos escolheu se preservar a mostrar sentimento patriótico para a satisfação de gente que a chamou de covarde apesar dos feitos que já conquistou.

Esses que se sentem orgulhosos pelos feitos alheios são parasitas morais que se enchem de alegria não por suas conquistas, mas pelas vitórias, obtidas com esforço heroico, dos outros.

Para mim, Simone Biles venceu desistindo de um valor menor, a medalha, por um valor maior, o seu bem-estar, só possível para quem tem autoestima intacta.

Ela não desistiu porque poderia prejudicar seu time. Ela não desistiu porque seria covarde. Ela desistiu porque sabe qual é o maior valor que alguém pode escolher: sua própria vida e sua própria felicidade.

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.