Rock à direita: 50 músicas com temática liberal-conservadora (II)

Depois de um tempo, voltamos à série sobre as 50 músicas com temática liberal-conservadora no meio do rock. Para saber quais outras bandas e musicas fazem parte da nossa lista basta clicar no link.

ramones

24 – After the fire – Der Kommissar

A banda inglesa que começou no rock progressivo e caminhou para ser uma das percussoras do New Wave mostra nessa letra a miséria existente na antiga Alemanha Oriental e o excesso de vigilância da polícia vermelha, criticando em especial a figura do comissário, que olhava o documento das pessoas ao entrarem e ao saírem das cidades.

 

23 – Ben Folds Five – Brick

O grupo de piano rock escreveu a canção mostrando a visão de um homem que leva a sua jovem namorada a uma clínica de aborto e descrevendo as cicatrizes emocionais posteriores da chamada “liberdade reprodutiva”.

 

22 – Rush – Red Barchetta

Os canadenses do Rush, marcados pelo som experimental muito utilizado nas músicas, fazem uma excelente crítica aos chamados na canção de “extremistas verdes”, descrevendo a emoção de dirigir um carro rápido e dos protestos dos militantes ambientalistas contra o uso de carros.

 

21 – David Bowie – Heroes

O músico inglês, falecido recentemente, descreve um caso de amor separado pelo Muro de Berlim. Ele critica a existência da ideologia socialista expondo como o Muro atrapalhava as relações entre pessoas do mesmo país.

Leia também:  Falta responsabilidade empresarial na administração pública

 

20 – The Clash – Rock The Casbah

O punk rock provocativo dos ingleses do The Clash critica os países islâmicos e faz graça de seus ritos, tudo em razão da proibição do rock no Irã feita pelo Aiatolá Khomeini, depois da Revolução Islâmica de 1978. A música é tão provocativa ao islamismo que, depois do 11 de setembro, o Departamento de Estado dos Estados Unidos sugeriu que as rádios evitassem tocar a música. Por outro lado, o sistema de radiodifusão do exército britânico (a estação de rádio para as tropas britânicas que serviram no Iraque) disse que a música era uma das mais pedidas pelos militares britânicos.

 

19 – Paul Revere and The Riders – Kicks

O grupo, que fez muito sucesso nos Estados Unidos nos anos 60, critica o uso de drogas e os pensamentos utópicos, mostrando a estupidez que é acreditar em certas utopias.

 

18 – Living Colour – Cult of Personality

Citando os exemplos de Benito Mussollini, Adolf Hitler, Josef Stalin e John Fritzgerald Kennedy, a banda de funk metal americana critica um dos maiores defeitos da política à esquerda: o culto a personalidade.

17 – Blink 182 – Stay Together for the Kids

Leia também:  PEC da Reforma da Previdência: alguns comentários

O punk pop do Blink 182 realiza uma defesa dos valores da família, da presença dos familiares na criação dos filhos e lança luzes sobre os problemas da falta de base familiar na vida de uma criança.

 

16 – The Eagles – Get Over It

Nessa música da banda de soft rock americana se tem a crítica à chamada cultura do vitimismo e o quanto pessoas que acabam por se fazer de vitima sem motivo algum, assim como o quanto isso é irritante para a sociedade.

 

15 – The Crickets – I Fought The Law

O rockabilly dos Crickets soa nesta canção uma defesa do cumprimento das leis e do respeito à ordem, defendendo também quem faz valer o respeito a legislação, coisa que nossos amigos socialistas parecem ignorar.

 

14 – Jesus Jones – Right Here, Right Now

A banda de rock alternativo da Inglaterra comemora o fim da Guerra Fria, explicito em especial o seguinte trecho: “Eu estava vivo e esperei por isso, vendo o mundo acordar com a história”.

 

13 – The Pretenders – My City Was Gone

O new wave do Pretenders é uma crítica ao governo de Ohio, na época comandado pela democrata Jane Jacobs, expondo sua insatisfação com as mudanças rápidas e desastradas feitas pela governante, mostrando o apego a cidade, atitude comum de conservadores, conhecidos pela relação afetiva com a sua comunidade como exibido no pensamento do autor americano Russell Kirk.

Leia também:  Era uma vez um país

 

12 – Bob Dylan – Neighborhood Bully

O folk country de Bob Dylan da o tom para esta música marcada por ser um hino pró-Israel. Lançada dois anos depois do bombardeio de um reator nuclear no Iraque, Dylan critica os ataques contra Israel, tanto belicamente, quanto verbalmente, e pode ser considerada, também, uma inspiração para a posterior Era Bush no governo americano.

 

11 – Rush – The Trees

Mais uma vez os canadenses do Rush aparecem na lista com uma canção que faz uma crítica sutil a propaganda da igualdade feita mundo a fora por ideólogos de esquerda. A banda deixa explícita sua opinião no trecho “As árvores são mantidas todas iguais, por machado e serra”.

 

 

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Jefferson Viana

Jefferson Viana

Jefferson Viana é estudante de História da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, coordenador local da rede Estudantes Pela Liberdade, presidente da juventude do Partido Social Cristão na cidade de Niterói-RJ e membro-fundador do Movimento Universidade Livre.