fbpx

Roberto Alvim: a prova de que o estado não deve promover a cultura

O vídeo em que o secretário de cultura reproduz uma frase de Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista, é uma ótima lição àqueles, principalmente na esquerda, que defendem que o estado deve promover a cultura. 

Quem acredita nisso deve estar preparado para ver o estado controlado por forças políticas contrárias aos seus princípios determinar o que é e o que não é cultura, o que deve ou não ser patrocinado, aparecer na TV, ser dito nos palcos e nos cinemas.

A cultura independe do estado. 

A cultura brasileira é a rodinha de samba, o carnaval, o churrasco, a feijoada, a altinha na praia, as padarias, as pipas nos céus das favelas, as músicas realmente populares etc.

O discurso de Ricardo Alvim remete não apenas às pretensões nazistas de engenharia social por meio da cultura, mas também ao que TODAS as ditaduras socialistas tentaram fazer, ao custo de muitas vidas.

Portanto, quem acha mesmo um absurdo a frase de Roberto Alvim tem a obrigação moral de defender o fim de todos os braços “culturais” do governo.

João Cesar de Melo

João Cesar de Melo

É militante liberal/conservador com consciência libertária.