fbpx

Por que petistas e aliados odeiam a liberdade de expressão?

O Partido dos “Trabalhadores” (PT) e partidos aliados são constituído por indivíduos que odeiam a liberdade de expressão, a não ser para si próprios, pois amam desferir os maiores impropérios, mas odeiam quando são rebatidos, expostos ou simplesmente o outro lado discorda de suas posições, ideias e discursos.

Pode-se dizer então que possuem ódio à liberdade de expressão como uma premissa institucional e o controle total sobre as vontades e opiniões dos indivíduos dissonantes como um objetivo, não à toa desejam a regulação econômica da mídia, que não passa de um controle estatal da imprensa e de tudo que puderem chamar de “mídia”, para calar forçadamente opositores.

Qualquer um que fale o óbvio pautado na verdade, será visto como inimigo do partido, logo, de todos que o compõe e apoiam. É o caso da desembargadora Beth Carvalho Nascimento, que pelo seu perfil pessoal do Facebook fez a seguinte declaração:

desembargadora-critica

A resposta petista foi a já esperada: pregar contra o direito à liberdade de expressão, dizendo que ele não foi exercido, utilizando-se de espantalhos e falácias que você pode conferir aqui. Por fim, obvia e claramente tenta coagir a desembargadora:

“A Executiva do PT em Alagoas avalia tomar medidas contra a magistrada. “O diretório estuda a postura antiética da presidenta do TRE para definir qual medida pode ser adotada”, afirmou a secretária de Comunicação do partido, Élida Miranda”.

Ainda tentam justificar utilizando do artigo 16 do Código de Ética da magistratura, onde todo magistrado deve comportar-se na vida privada “de modo a dignificar a função, cônscio de que o exercício da atividade jurisdicional impõe restrições e exigências pessoais distintas das acometidas aos cidadãos em geral”. Contudo, a que tipos de atitudes do magistrado podem e devem ser condenadas?

Recentemente uma fiscal da lei seca foi processada por um magistrado que abusou de sua autoridade e agiu em desacordo com a postura ética que deve ser reservada a quem ocupa tal cargo e, no entanto, ganhou o processo. Deve este magistrado ficar livre de punição pelo “abuso de autoridade” e a desembargadora alagoana deve ser punida por utilizar-se de sua liberdade de expressão?

Os responsáveis pela comunicação do PT com certeza pensaram em tal hipótese e se valera do seguinte argumento:

“Já no artigo 39, o documento diz que atenta à dignidade do cargo qualquer ato ou comportamento do magistrado que implique discriminação injusta ou arbitrária de qualquer pessoa ou instituição”.

Pois bem, quero que me apontem onde a desembargadora fez injusta ou arbitrária discriminação? Ela disse alguma mentira, ou citou algo inexistente? Não há escândalos em cima de escândalos, nem petrolão, Passadena, nada? “Beneficiários” do PBF não foram coagidos? Ora, mensagens de texto foram enviadas ameaçando o corte do “benefício” caso votassem em Aécio Neves (PSDB/MG). Há também vídeos de aliados e petistas dizendo que todos perderiam as bolsas se votassem em Aécio e/ou se ele fosse eleito. Isso não é coerção? Não é também intimidação? É mentira o pior índice de crescimento? Mensalão, índice de analfabetismo (principalmente funcional), saúde e educação péssimas e inflação alta são mentiras? É injusto, discriminatório e/ou arbitrário conta o PT? Não!

“Mas e os superfaturamentos da Copa? Não há provas disso”. Mas há indícios lógicos, oras, como o Palmeiras consegue construir um estádio de “nível FIFA” com muito menos dinheiro e investimentos privados? Como o Gonçalense consegue estar no mesmo rumo?            Há aqui uma dedução lógica, nada arbitrária, nem discriminatória. Quer o PT, então, obrigar a desembargadora ou qualquer outro a “provar” o superfaturamento? Se assim fosse instaurar-se-ia uma CPI da Copa ou algo do gênero e o assunto seria amplamente debatido. Mas ao invés disso tentam barra a CPI da Petrobras e quando se fala em Copa, apenas ouvimos um “A Copa de todas as Copas”, mas para quem?

A liberdade de expressão quando utilizada por quaisquer indivíduos capazes de perceber a sujeira e toda desgraça que envolve PT e aliados é rechaçada pelos membros do partido. Claro, pois para eles, liberdade de expressão só é boa, se só eles puderem usar.

É mais uma prova do totalitarismo adotado como regra por aqueles que dominam a máquina estatal pesadamente.

Aos companheiros,  liberdade para tudo, aos demais, que se contentem com poder falar apenas o que agradar ao partidão.

Roberto Barricelli

Roberto Barricelli

Assessor de Imprensa do Instituto Liberal e Diretor de Comunicação do Instituto Pela Justiça. Roberto Lacerda Barricelli é autor de blogs, jornalista, poeta e escritor. Paulistano, assumidamente Liberal, é voluntário na resistência às doutrinas coletivistas e autoritárias.