Por que os socialistas agem como bactérias parasitárias?

Socialismo é uma doença como a sífilis, disse Mujica.

O jornalista entendeu que ele estava dizendo que o capitalismo era a doença.

O que Mujica estava lhe explicando, era que ele próprio, como um socialista, não conseguia criar riqueza então, como não era burro, sabia que precisava dos capitalistas vivos para poder parasitá-los, como uma Treponema pallidum, a bactéria da sífilis.

Eu digo, socialistas que não são burros são psicopatas, doentes mentais, agem como bactérias parasitárias que destroem paulatinamente os organismos em que se instalam.

Tem sido assim em dezenas e dezenas de lugares ao longo dos últimos cento e poucos anos, será assim no futuro enquanto essa poderosa doença genocida não for erradicada.

Leia também:  PEC do Orçamento: uma revolução gloriosa? (segunda parte)

Hoje mesmo em lugares tão diferentes quanto a Venezuela, Argentina, Cuba, Nicarágua, Coreia do Norte, até mesmo no Brasil, a bactéria do socialismo está corroendo o tecido social com a coerção consentida pelas próprias vítimas que se submetem à irracionalidade e ao emocionalismo por falta de autoestima e convicções ancoradas na realidade, na ciência, lógica, na justiça.

Velhos como o Mujica, jovens como a Greta e todos as variantes encontradas na fauna ideológica que prega a igualdade acima da liberdade e a distribuição acima da criação de riqueza e oportunidades são agentes ativos dessa doença que por razões psico-epistemológicas se instalam onde o desenvolvimento começa a florescer.

Combater essas ideias nefastas requer muita fundamentação e resiliência, porque lidar com a religiosidade dogmática secular, que se desenvolve em meio ao emocionalismo que produz culpa, inveja e medo é desgastante, é difícil.

Leia também:  Os Predadores da Previdência

Não se deixem levar pelas aparências, pelos apelos falaciosos, há maldade nesse discurso disfarçado de generosidade. Não se deixe inocular com a bactéria dessa ideológica sifilítica, não seja um agente transmissor dessa doença mortal.

Use a razão com Independência, coloque a sua mente para funcionar questionando as bases desumanas dessa ideologia neurótica que é o socialismo. Ser um advogado do capitalismo não é suficiente, é preciso ser mais radical, é preciso ser advogado do individualismo, do autointeresse, do ser humano como um ser racional.

Não seja burro como esse jornalista, não seja vítima inocente desses políticos populistas demagogos, sejam eles coletivistas estatistas à esquerda e à direita. Liberte-se, reaja, mostre que está vivo e que sua vida e o produto dela não pertencem a ninguém além de você.

Leia também:  O governo Bolsonaro está em crise?

O que disse Mujica ao final das contas? Que impostos são produto de roubo realizado por parasitas para distribuir entre aqueles que irão mantê-los no poder.

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.