fbpx

Uso de máscara, vacina obrigatória e a estratégia autoritária

Há certas pessoas que gostam de usar máscara mesmo onde e quando isso não é necessário.

Querem educar pelo exemplo. No caso, instigando o medo e com ele a conformidade.

Usar máscara quando não é preciso significa dar primazia à consciência em detrimento da realidade objetiva.

Primazia da consciência sobre a realidade objetiva é racionalismo, é querer impor uma visão de mundo desapegada dos fatos e dos concretos que se pode verificar empiricamente.

Usar máscara como faz o João Dória é uma encenação que pretende instaurar o medo preparando psicologicamente a população para o próximo passo dessa estratégia autoritária.

Uma população com medo fica suscetível para aceitar o que lhe oferecem como solução para o problema que a aflige. O povo amedrontado é capaz, inclusive, de fazer o que não deve, como aceitar violações da sua individualidade impostas coercitivamente pelo estado. Mais, é capaz de aliar-se a qualquer projeto totalitário.

Vimos isso na Itália fascista, na Alemanha nazista, na União Soviética e na China comunistas. As atrocidades mais impensáveis foram aceitas ou apoiadas quando os governos daqueles países impuseram o terror para amedrontar a população e a coerção para dobrar os resistentes.

Se isso tudo que João Doria defende, vacinação compulsória e uso de máscara, quando ela é desnecessária, não faz parte de uma estratégia para impor arbitrariamente suas razões, então é o alter-ego do governador se manifestando.

Quantos desses a quem foi dado o poder de governar não sonhavam em replicar os feitos de seus heróis mascarados? Não estou falando do Zorro nem do Homem-Aranha, mas dos bandidos do faroeste ou do mais perigoso de todos, Darth Vader.

A vacinação obrigatória é onde qualquer governo pode ir mais longe na sua constante tentativa de violar nossa privacidade: invadir nosso corpo.

Espero que nunca possam tecnologicamente invadir nossa mente, porque, se e quando isso for possivel, haverá governantes prontos para fazê-lo, como haverá parte da sociedade aplaudindo.

O mais doloroso é ver gente dando seu apoio a essa loucura dizendo estar defendendo a liberdade.

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.