fbpx

Três razões para o fracasso do novo plano de estímulo de Joe Biden

Conforme já escrevi aqui antes, a dívida pública americana está mais alta que nunca: 28 trilhões de dólares. O novo plano de estímulo de Joe Biden tende a aumentá-la em cerca de mais dois trilhões de dólares. Como não existe almoço grátis, esse dinheiro terá que vir de algum lugar e a única resposta de Biden até o momento é taxar os mais ricos. O presidente americano quer aumentar o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) de 21% para 28%, e mais que dobrar o imposto sobre ganhos de capital (exemplo: ganhos na bolsa de valores), podendo chegar a 43%. Porém, só uma pessoa totalmente incapaz na matemática pode supor que tais medidas conseguirão retirar os EUA desse buraco financeiro – não tem imposto no MUNDO que resolva, sendo necessário MESMO que o governo corte gastos. Além disso, há outros dois motivos principais para o seu fracasso e vou explicá-los neste texto.

Primeiro, vamos ao mais óbvio: o impacto na receita de novos tributos é insignificante. Em 2018, Washington arrecadou 158,4 bilhões de dólares do imposto sobre ganhos de capital, e de acordo com um estudo feito pela Universidade de Princeton, um aumento de 5% no imposto daria um ganho de no máximo 30 bilhões a mais. Já o aumento de impostos corporativos daria um aumento de receita na ordem de 691 bilhões de dólares em um período de 10 anos. Detalhe: o estudo não considerou possíveis efeitos negativos do aumento de tributos – isto é, em um cenário extremamente otimista.

Abro aqui um parêntese para falar sobre o IRPJ. Segundo a Tax Foundation, desde a década de 80, tal tributo tem caído no mundo inteiro e, em 2020, dez países mudaram a alíquota – nove para menos e somente um para cima (Micronésia). Em 1980, a carga tributária média do IRPJ em todos os países do globo era de 40,11%, e atualmente está em 23,85% – no Brasil está em 34% – a décima-quinta maior do mundo. Se Biden aumentar o IRPJ americano para 28%, ficará acima da média europeia, do G20, G7 e OCDE, o que implica reduzir a competitividade das empresas do país. Este é o grande motivo que a secretária do Tesouro de Biden, Janet Yellen, que é uma espécie de Guido Mantega que fala inglês, quer criar um IRPJ global.

O segundo ponto é que por mais que a esquerda adore destilar seu preconceito social contra o “pobre de direita”, a verdade é que mais impostos sobre os mais ricos não afetam somente os mais ricos. Grande parte dos lucros de Wall Street acabam indo para o Vale do Silício, onde são investidos em startups e novas tecnologias que geram aumento de produtividade, que beneficiam toda a sociedade. De acordo com Daniel Lacalle, este foi um dos motivos que levou a Europa a reduzir seu imposto sobre ganhos de capital – cuja média no continente é de 19,3%, muito distante dos 43% que Biden quer implementar.

Por último estão os gastos obrigatórios – sim, até os americanos têm esse problema – que vêm aumentando consistentemente. Em 2020 eles estavam em 1,8 trilhão de dólares e agora estão em 2,9. Em outras palavras, é muito possível que esse dinheiro seja “canalizado” para pagar aposentadorias, por exemplo, ao invés de investimentos pesados em infraestrutura como quer o presidente. Não é possível reduzir o déficit com aumento de impostos se as despesas obrigatórias seguem aumentando de maneira exponencial: é necessário atacar o problema da despesa estatal.

É inegável que a esquerda no hemisfério norte é muito diferente da brasileira. O simples fato deles não terem corruptos de estimação, já é mais que o suficiente para promover meu ponto. Porém, eles continuam de esquerda: seguem defendendo soluções neo-keynesianas de gasto público e endividamento para impulsionar a economia, ao invés de inovação e aumento da produtividade. O resultado de tais políticas acabará chegando no aumento da inflação, e, não é surpresa que 1 a cada 10 americanos vai gastar parte do seu estímulo de 1.400 dólares comprando Bitcoin e outras criptomoedas. É preciso se proteger deste maldito dragão.

*Artigo publicado originalmente por Conrado Abreu na página Liberalismo Brazuca no Facebook.

Fontes: https://valor.globo.com/mundo/noticia/2021/04/04/ft-empresas-podem-se-indispor-com-biden-por-plano-que-prev-aumento-de-imposto.ghtml
https://vocesa.abril.com.br/mercado-financeiro/biden-quer-aumentar-impostos-dos-ricos-e-wall-street-tem-o-maior-tombo-desde-marco/
https://www.govexec.com/pay-benefits/2001/08/firefighter-retirement-age-rises-to-57/9846/

https://taxfoundation.org/publications/corporate-tax-rates-around-the-world/

Instituto Liberal

Instituto Liberal

O Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal.

Deixe uma resposta