fbpx

Sobre o futuro da humanidade

Quanto mais os céticos e os catastrofistas dizem não acreditar no amanhã, mais seres humanos nascem, florescem e enriquecem.

Isso porque seres humanos normais são otimistas e sabem que o universo é benevolente. Somos otimistas, pois somos a única espécie que, em vez de se adaptar à natureza, adapta a natureza às suas necessidades existenciais.

Há pouco mais de 150 anos, vivia na Terra cerca de 1/8 da população atual de seres humanos. Nossa expectativa de vida média era a metade do que é hoje. O número de pessoas vivendo na miséria naquela época era de 98% da população total. Hoje é cerca de 10%. Ou seja, há 150 anos, cerca de 30.000.000 de pessoas viviam acima da linha de pobreza. Hoje o número é cerca de 240 vezes maior.

Os ambientalistas só pensam no meio-ambiente porque o progresso alcançado pelos seres humanos é tanto que eles podem viver sem nada produzir. Nem mesmo conhecimento verdadeiro.

Temos um potencial tão extraordinário como espécie que um indivíduo apenas, com sua genialidade e capital, inclusive os recursos humanos de que dispõe, poderá, em breve, nos levar para viver em Marte se quisermos.

Seres humanos evoluem ou ficam para trás. Não com relação aos outros animais, mas aos membros da sua própria raça. Seres humanos usam a mente para criar valor com suas abstrações e ideias inovadoras.

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.