fbpx

Série heróis da liberdade: Robert A. Heinlein

Robert A. Heinlein (07/07/1907 – 08/05/1988) foi um escritor americano cujo pensamento exerce grande influencia até hoje. João Luiz Mauad selecionou algumas de suas frases mais marcantes:

“Rótulos políticos – como monarquistas, comunistas, democratas, populistas, fascistas, liberais, conservadores etc. – nunca são critérios básicos. A raça humana se divide politicamente entre aqueles que querem que as pessoas sejam controladas e aqueles que não têm esse desejo.”

“Um ser humano deve ser capaz de trocar uma fralda, planejar uma invasão, estripar um porco, conectar um navio, projetar um edifício, escrever um soneto, equilibrar contas, construir um muro, fixar um osso, confortar os moribundos, receber ordens, dar ordens, cooperar, agir sozinho, resolver equações, analisar um novo problema, adubar estrume, programar um computador, cozinhar uma refeição saborosa, lutar eficientemente, morrer galantemente. Especialização é para insetos.”

“Nunca se torne pessimista … um pessimista está correto com mais freqüência do que um otimista, mas um otimista se diverte mais e nenhum dos dois pode parar a marcha dos eventos.”

“Não há tirania pior do que forçar um homem a pagar pelo que ele não quer, simplesmente porque você acha que seria bom para ele.”

“O direito de descobrir as coisas por si mesmo é a única liberdade verdadeira que todos compartilham. Use-a.”

“Nunca atribua à malícia aquilo que pode ser adequadamente explicado pela estupidez. Nunca subestime o poder da estupidez humana.”

“Uma geração que ignora a história não tem passado – nem futuro.”

“Eu sou livre, não importa quais regras estejam ao meu redor. Se eu as acho toleráveis, eu as tolero; se eu as acho desagradáveis ​​demais, eu as quebro. Sou livre porque sei que, sozinho, sou moralmente responsável por tudo que faço.”

“Há uma música antiga que afirma que “as melhores coisas da vida são gratuitas”. Não é verdade! Totalmente falso! Essa foi a trágica falácia que provocou a decadência e o colapso das democracias do século XX; esses nobres experimentos fracassaram porque as pessoas foram levadas a acreditar que podiam simplesmente votar no que quisessem … e consegui-lo sem esforço, sem suor, sem lágrimas. Nada de valor é gratuito. Até o fôlego da vida é adquirido no nascimento apenas pelo esforço ofegante e pela dor.”

 

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.