Série Heróis da Liberdade: Clint Eastwood

Meu homenageado da série ‘Heróis da liberdade’ de hoje é Clint Eastwood (31/05/1930). Ator e diretor de cinema, músico e político, Eastwood é um grande defensor dos ideais de liberdade e individualidade, tudo isso vivendo e trabalhando num ambiente amplamente dominado pelas ideias coletivistas.

“Eu tenho uma política de controle de armas muito rigorosa: se há uma arma por perto, quero estar no controle dela.”

“Extremismo é tão fácil. Você tem sua posição e é isso. Não é preciso muita reflexão. E quando você vai longe o suficiente para a direita, você encontra os mesmos idiotas que vê na esquerda.”

“Participar de um programa de recompra de armas porque você acha que os criminosos têm armas demais, é como ser castrado porque acha que seus vizinhos têm filhos demais.”

“Se você quer garantia, compre uma torradeira.”

Por que as pessoas estão fazendo um grande drama com o casamento gay? Eu não dou a mínima para quem quer se casar com mais ninguém! Apenas dê a todos a chance de ter a vida que eles querem.”

Leia também:  Pelo amor de Deus, parem de dar crédito a Gramsci pela hegemonia marxista na guerra cultural brasileira

“Os caras que venceram a Segunda Guerra Mundial e toda essa geração desapareceram, e agora temos um monte de idiotas adolescentes.”

“Eu sempre fui um libertário. Deixe todo mundo em paz. Deixe todo mundo cuidar de si. Apenas fique longe do penteado das pessoas.”

“Há um rebelde deitado no fundo da minha alma. Toda vez que alguém me diz que a tendência é tal e tal, eu vou na direção oposta. Eu odeio a ideia de tendências. Eu odeio imitação; Eu tenho reverência pela individualidade.”

“Ao longo dos anos, percebi que havia uma filosofia republicana que eu gostava. E os liberais tinham mais disso. Porque o que eu realmente acredito é: vamos passar um pouco mais de tempo deixando todos em paz.”

Leia também:  A relação Floresta Amazônica, oportunismo e hipocrisia

“Abuso de poder não se limita a “bandidos” em outras nações. Isso acontece no nosso próprio país. Aqueles que estão no poder ficam ousados, iludidos e seduzidos pelo próprio poder. Eu sempre me considerei individualista demais para ser de direita ou de esquerda. Eu gosto da visão libertária. As pessoas devem poder ser o que querem ser e fazer o que quiserem – desde que não estejam prejudicando outras pessoas.”

“Hoje em dia, politicamente, todo mundo está prometendo tudo. Essa é a única maneira de você ser eleito.”

“Eu não sou muito conservador. Sou conservador em certas coisas. Eu acredito em menos governo. Acredito na responsabilidade fiscal e em todas as coisas em que os republicanos costumavam acreditar, mas não acreditam mais.”

Leia também:  Recuperação Lenta e Gradual da Economia: PIB Cresceu 1,1% em 2018

“Secretamente todo mundo está cansado de politicamente correto. Estamos realmente em uma geração de bichanos. Todo mundo está pisando em casca de ovo. Nós vemos pessoas acusando as pessoas de serem racistas e todos esses tipos de coisas. Quando eu cresci, as coisas não eram assim.”

“Você não pode impedir que as coisas ruins aconteçam. Mas chegamos a um ponto em que certamente estamos tentando. Se um carro não tem quatrocentos airbags, não é bom.”

“Todos estão procurando um motivo para não assumir a responsabilidade por suas próprias ações.”

Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.