fbpx

Quem errou na gestão da pandemia no Brasil?

O presidente Jair Bolsonaro errou na gestão da pandemia, seja na questão institucional, seja na questão operacional; mas atribuir as centenas de milhares de mortes à sua incompetência, isoladamente, é uma injustiça.

Governadores e prefeitos também foram lenientes no que se refere à adoção de práticas consagradas no combate da transmissão viral, como: fechamento de fronteiras, estabelecimento de barreiras sanitárias, testagem, rastreamento e quarentena compulsória.

Os lockdowns (como ficaram popularmente chamadas as medidas de contenção) adotados não são eficientes, como ficou comprovado. Depois que a pandemia se instaura numa região, é dificílimo conter a contaminação e se recomenda todo o esforço na criação dos clusters onde a transmissão perdeu o controle de maneira a que isso não se propague para outras regiões.

Segundo especialistas, manter uma vida quase normal é possível desde que haja atenção com os cuidados básicos como distanciamento, máscara e higienização.

No momento em que os laboratórios acenaram com a oferta de vacinas, o governo, em todas as suas esferas, deveria garantir o suprimento, seja pelo sistema estatal ou privado, nas mesma condições.

Há quem diga preferir Lula, porque jogou na conta do Bolsonaro as mais de 330.000 mortes já acontecidas. Isso é um absurdo. Não apenas Lula é responsável pelo sucateamento do sistema único de saúde, que nunca funcionou, como ele enterrou bilhões de reais em estádios inúteis e obras realizadas em outros países. Sem falar no que foi desviado das estatais.

Fico imaginando o desastre que seria a pandemia numa administração petista. A corrupção correria solta e provavelmente seria criada a Coronabrás com o Zé Dirceu e o Palloci na administração.

Roberto Rachewsky

Roberto Rachewsky

Empresário e articulista.