O que devemos fazer com leis inúteis e autoritárias?

Políticos não devem se preocupar com leis que a população já refutou colocando-as em desuso.

Cada lei inútil que políticos inúteis impõem à sociedade e é por ela desconsiderada é uma exaltação à desobediência civil.

Assim como não precisamos de políticos que criam leis inúteis, não precisamos de políticos para revogá-las.

É pedagógico para os políticos e para a sociedade mostrar que quando as leis são estúpidas, a melhor coisa a fazer é ignorá-las.

Leis que violam a nossa liberdade e confiscam a nossa propriedade devem ser combatidas de várias maneiras. Se os políticos que se opõem a elas não conseguem evitar a sua promulgação, cabe à população reagir através da desobediência civil e, se for necessário pelo grau de tirania nelas contida, até com a revolta popular.

Leia também:  “Diário do Centro do Mundo” conta mentira sem vergonha sobre João Amoêdo

Políticos que querem reduzir e limitar o poder coercitivo e violento do governo devem focar nas leis autoritárias que a população, por medo ou ignorância, acaba acatando como cordeirinhos.

É demagogia acabar com leis que as pessoas nem sabem que existem, ou, se sabem, desprezam e o governo também não aplica com rigor.

O político liberal que quer se fazer notar pela integridade deve focar no combate aos impostos e às leis que impedem as pessoas de prosperar.

Leis inúteis que não são cumpridas divertem a população e ridicularizam seus proponentes. É bom deixá-las em vigor para que não nos esqueçamos do comediante que está nos servindo no parlamento.

Leia também:  O Pós-modernismo, as políticas identitárias de grupo e o socialismo
Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!