O Facebook não está impondo a censura, ele está exercendo a liberdade de expressão

Censura pressupõe a ação coercitiva governamental.

Indivíduos ou empresas não praticam censura quando, por discordarem de determinadas ideias, recusam-se a ouvir, divulgar ou financiar seus oponentes.

Liberdade de expressão inclui discordar, concordar ou ficar em silêncio.

Quando uma empresa não ouve, não divulga ou não financia seus oponentes, ela está exercendo o direito à liberdade de expressão, principalmente se esse direito é exercido no ambiente que lhe pertence, sob o manto institucional do direto de propriedade.

Podemos, por exemplo, discordar totalmente das posições do Facebook, podemos considerar o Facebook inimigo #1 das nossas ideias, podemos odiar o Facebook por ele não divulgar as ideias que defendemos e, ainda por cima, nos impedir de divulgá-las quando tentamos fazê-lo.

Leia também:  Pode ocorrer no Brasil o mesmo fenômeno ocorrido na última eleição presidencial francesa?

Entretanto, uma coisa é indiscutível, o Facebook tem o direito de banir postagens e comentários que contrariam suas convicções com base no que lhe assegura o direito de liberdade de expressão.

Como na frase, equivocadamente atribuída à Voltaire, que dizia: – “Posso não concordar com o que dizes, mas defendo até a morte teu direito de dizê-lo”, liberais íntegros defendem o direito do Facebook de não publicar aquilo com o qual não concorda.

Crystal clear! O Facebook, não está impondo a censura, ele está exercendo seu alienável direito à liberdade de expressão.

A diferença entre censura e liberdade de expressão é óbvia. Censura viola o direito das pessoas de se manifestarem livremente, mas o direito de livre manifestação não inclui o uso da propriedade alheia.

Leia também:  Aprendam, feministas: esse mundo é dos homens – e sempre será

Quer manifestar-se livremente, use a sua propriedade privada, os seus meios, sem imposições intimidatórias ou coercitivas, via o poder do estado ou sem intermediários.

Eu acho um erro grave o Facebook se antagonizar com quem defende a liberdade de expressão, mas mais grave ainda, é a atitude dos que dizem ser a favor da liberdade de expressão e se postam contra ela, numa clara contradição.

A propósito, sempre foi a esquerda que acusou empresas privadas de praticarem a censura quando essas se recusavam a endossar ideias antagônicas negando financiamento ou divulgação.

Não cabe também aqui, acusar os conservadores de contraditórios, quando esses criticam os liberais por defenderem a liberdade de expressão.

Leia também:  Altos gastos com políticos e ex-políticos: não é este o Brasil que queremos

Nessa situação, conservadores não mostram falta de coerência, apenas expõem o que tentam, via de regra, esconder, sua aversão à liberdade de pensamento, à liberdade de expressão e à liberdade que pessoas livres e independentes costumam ter quando resolvem escolher hábitos e costumes próprios para viverem.

 

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!