Hackers, bandidos da internet, a serviço de tramas políticas

Hackers, bandidos da internet, foram certamente encomendados por quem tem interesse em macular a imagem da Operação Lava Jato e prejudicar as figuras de Sérgio Moro e Deltan Dallagnol, os quais, em equipe, foram responsáveis por desmantelar uma quadrilha de políticos e ex-políticos que assaltavam a nação – inclusive um deles foi condenado em três instâncias e continua preso na Polícia Federal, embora insista em espernear jurando inocência.

É vergonhoso que um ato criminoso de invasão de privacidade, que deveria ser veementemente condenado, ainda seja usado para denegrir a imagem de Sérgio Moro. Mas não vão. O Brasil inteiro está do seu lado.

Leia também:  O papa Francisco e sua defesa da esmola com o chapéu alheio

Luiz Roberto Barroso, ministro do SFT, assim se manifestou: “Tenho dificuldade em entender a euforia que tomou os corruptos e seus parceiros”.

Pois bem, a euforia dos corruptos e de seus parceiros ficou bem estampada no delírio da claque petista ainda magoada pela condenação em três instâncias por corrupção e formação de quadrilha do “ impoluto” ex-presidente Lula, uma peça rara que conseguiu ficar rico só vivendo de política.

Mas a euforia desvairada de políticos mambembes tem nuances quixotescas. Vejam: (1) o senador petista pernambucano, Humberto Costa, um  político inexpressivo, defendeu até a abertura de CPI, destilando o seu ódio ao ex-juiz Sérgio Moro: “Agora é pau”, depois de afirmar que a Lava Jato está ferida de morte; (2) a inebriada parlamentar comunista carioca, Jandira Feghali, vociferou que “esse é um dos maiores escândalos da democracia brasileira”, tentando a parlamentar minimizar e desqualificar os efeitos bombásticos e positivos da Lava Jato, que além de levar legalmente para a cadeia um ex-presidente da República e outros políticos corruptos, ainda fez retornarem aos cofres públicos bilhões de reais surrupiados.

Leia também:  O STF tem o poder de adaptar o texto constitucional ao seu bel prazer?

Mas as investidas criminosas de hackers – nitidamente encomendados para denegrir a imagem de servidores retos e destemidos no cumprimento de seus deveres funcionais, bem como desacreditar a Lava Jato – não vão intimidar a República.

Sobre o autor: Júlio César Cardoso é Bacharel em Direito e já atuou como Servidor federal.

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!
Leia também:  É preciso ter cuidado com oportunistas nas horas que sucedem as tragédias