fbpx

A sabedoria de Camille Paglia

Acadêmica e professora da University of the Arts em Philadelphia, Camille Paglia nasceu em 2 de abril de 1947. A sabedoria da aniversariante da semana:

“Os homens sacrificaram-se e mutilaram-se física e emocionalmente para alimentar, abrigar e proteger mulheres e crianças. Nenhuma de suas dores ou conquistas é registrada na retórica feminista, que retrata os homens como exploradores opressivos e insensíveis.”

“O patriarcado, rotineiramente culpado por tudo, produziu a pílula anticoncepcional, que fez mais para libertar as mulheres contemporâneas do que o próprio feminismo.”

“A mulher é o sexo dominante. Os homens têm que fazer todo tipo de coisa para provar que são dignos da atenção da mulher.”

“O feminismo contemporâneo se separou da história e faliu quando teceu sua fantasia pueril e paranóica de opressores masculinos e vítimas de objetos sexuais femininos. A mulher é o sexo dominante.”

“Eu digo que a lei deve ser cega para raça, gênero e orientação sexual, assim como afirma ser cega para riqueza e poder. Não deve haver grupos especialmente protegidos de qualquer tipo, exceto crianças, deficientes graves e idosos, cuja fragilidade física exige cuidados da sociedade.”

“Aí está: um ensino superior caro baseado em slogans, em frases banais que substituem a postura moral pelo raciocínio político. É o elitismo disfarçado de igualitarismo.”

“Os estudos das mulheres são um pântano confortável e amigável de pensamento de grupo incontestado. É, com raras exceções, totalmente não-acadêmico. Feministas acadêmicas silenciaram homens e mulheres dissidentes.”

“Se alguém te ofende com a fala, você deve aprender a se defender pela fala.”

“Quando define o homem como inimigo, o feminismo está alienando as mulheres de seus próprios corpos.”

“O capitalismo é uma forma de arte, uma fabricação apolínea para rivalizar com a natureza. É hipócrita que feministas e intelectuais desfrutem dos prazeres e conveniências do capitalismo enquanto zombam dele. Todos os nascidos no capitalismo contraíram uma dívida com ele. Dê a César o que lhe é devido.”

“Eu odeio dogma de qualquer forma. Eu odiava isso na Igreja Católica e nas tropas de escoteiras da década de 1950, e eu odeio no ativismo gay e no feminismo estabelecido hoje.”

“Qualquer mulher que fica com seu agressor além do primeiro incidente é cúmplice dele.”

“Mesmo uma mulher de vontade anormal não pode escapar de sua identidade hormonal.”

“O capitalismo tem suas fraquezas. Mas foi o capitalismo que acabou com o domínio das aristocracias hereditárias, elevou o padrão de vida da maior parte do mundo e permitiu a emancipação das mulheres.”

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad

João Luiz Mauad é administrador de empresas formado pela FGV-RJ, profissional liberal (consultor de empresas) e diretor do Instituto Liberal. Escreve para vários periódicos como os jornais O Globo, Zero Hora e Gazeta do Povo.