Paulo Freire e o assassinato do conhecimento

PAULOFREIREPaulo Freire. Filósofo, pedagogo, e educador, considerado o patrono da educação em nosso país, possui títulos de honoris causa em faculdades tarimbadas no mundo, como Oxford, Cambridge e Harvard, onde foi professor convidado. Sua teoria de educação é muito propagada no Brasil e os resultados do desenvolvimento educacional do Brasil não são dos melhores. Mas por que a educação brasileira tem a ver com a teoria de Freire?

Paulo Freire era adepto da teoria marxista e a sua aplicação na educação, implantando a luta de classes no ambiente escolar, dizendo que o problema educacional era social, que os menos favorecidos tinham que ser introduzidos na política, com uma das suas teorias mais conhecidas, a Pedagogia da Libertação, onde incorpora-se que não existe educação neutra. Aí está uma das origens da nossa já conhecida doutrinação marxista nas escolas e universidades, que em vez de formar cidadãos e profissionais para o crescimento do país, forma soldados dispostos a defender com unhas e dentes o marxismo no meio acadêmico.

Leia também:  Adam Smith e o massacre de Suzano

Na sua principal obra, Pedagogia do Oprimido, Freire exalta a teoria da Ação Antidialógica, onde centra-se a “ação dos dominadores”, que preferem manter a divisão, para poder continuar a opressão e manter a manipulação, deixando as classes menos favorecidas fracas e facilmente manipuladas. Nada mais que a luta de classes proposta pelo alemão Karl Marx, só que com outras palavras.

Paulo Freire participou da última grande reforma educacional brasileira, ocorrida em 1996 durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Tal reforma deu origem à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, cujos resultados estão aí para todos nós vermos. Nossa educação continua atrasada, doutrinária e fraca.

Contudo, a problemática da educação brasileira não vem de 1996, e sim do fim da década de 1950. Foi a época que as teorias de autores de esquerda ganharam força no Brasil e Paulo Freire estava nesse “pacotão” de autores, onde estavam na lista também Caio Prado Júnior, Nelson Werneck Sodré, Sérgio Buarque de Hollanda, Florestan Fernandes, Darcy Ribeiro e Maria Yedda Linhares. Em vez de solucionar o problema, o “Método Paulo Freire” só agrava o problema da educação nacional. Além da suspeita de plágio do método, mostrado pelo site Mídia Sem Máscara em artigo escrito pelo historiador David Gueiros Vieira, mostrando que o mesmo foi criado na verdade pelo americano Frank Laubach em 1915.

Leia também:  Considerações sobre as eleições de 2018

 

Enquanto a educação brasileira for baseada no método freireano o resultado continuará sendo o mais desanimador possível, com o nosso país caindo ainda mais no ranking do PISA (Programa internacional de avaliação de alunos) com o desempenho pífio de nossos alunos, que em vez de priorizada uma educação formativa de fato e neutra, tem aulas de marxismo que corrompem a mente de nossas crianças e adolescentes em prol da revolução cultural e silenciosa que o italiano Antonio Gramsci propunha. Paulo Freire tem uma grande colaboração nesse resultado triste para o futuro de nosso país. Precisamos urgentemente de mais mentes pensantes no futuro para ajudar no crescimento de nosso país, não de mais soldados socialistas.

Leia também:  Por que o governo deve ser financiado voluntariamente?

 

Gostou do texto? Ajude o Instituto Liberal no Patreon!

Comentários

  1. A “consciência crítica” despertada há décadas nas escolas tem uma única finalidade: criticar o sistema capitalista, ou seja, o que produz riquezas. Nunca ouvi falar de um professor que ensine a “consciência crítica” para criticar o comunismo e o rastro sanguinolento de destruição física e moral que esta seita deixa pelo mundo afora. Essa fábrica de zumbis chamada comunismo/esquerdismo/socialismo prospera como nunca na América Latina, após ser varrida do leste europeu, onde massacrou os países que contaminou por mais de 70 anos. Vamos fazer uma “crítica consciente inversa”:

    A NATUREZA CANCEROSA DA COISA PÚBLICA OU COMUNISMO

    Suponha que você abra um pequeno negócio: uma loja de roupas, por exemplo; até você
    abri-la, vai suar muito e aplicar dinheiro, em estoque, aluguel, papelada com o
    contador, obtenção do CNPJ, cadastro da loja no Ministério do Trabalho, no
    INSS, nas secretarias de fazenda nacional, estadual e municipal; vai pagar PIS,
    FGTS, IPTU, ICMS, SEBRAE, IRPJ (imposto de renda), COFINS, taxa de incêndio,
    água, luz etc… Primeiro você começa sozinho, depois põe um filho ou a esposa
    para ajudar; o negócio cresce e você precisa contratar um empregado. Claro que
    você vai escolher, pois um bom comerciário tem, antes de tudo, de saber lidar
    com pessoas, ter paciência, boa aparência (não no sentido de ser bonito, mas
    asseado, penteado, barbeado, decentemente vestido, esperto, pontual, assíduo,
    dedicado e simpático); aí um parente seu pede que você empregue um filho que é
    o contrário disso tudo. Você vai contratá-lo? É claro que não. Nem o seu filho,
    se não corresponder ao perfil acima, você contrataria, porque você iria à falência.
    Você cuidará diligentemente do seu ganha-pão, pois sabe que qualquer negócio
    mal tocado quebra. Sabe por que você fará isso tudo? Porque é seu instinto de
    sobrevivência, e é o olho do dono que engorda o boi. É A COISA PARTICULAR QUE
    ESTÁ EM JOGO. Você não contratará mais ninguém se não precisar ou só para
    agradar a alguém. Será dinheiro saído do seu bolso.

    Agora veja o que é a coisa pública: fulano ganhou as eleições para prefeito de um pequenina
    cidade, com somente quatro ruas. O orçamento do município não dá para as
    despesas de limpeza e iluminação públicas, mas o salário dele e dos vereadores
    é acima de R$5.000,00, coisa que nenhum deles obteria na atividade privada nem
    ganhava antes de ser eleito; o município recebe vários repasses do governo
    federal e do estado: royalties, FPM, FUNDEB, SUS, IVC etc… A educação vai mal,
    as professoras ganham pouco, nunca tem médico no posto de saúde…Mas o município
    tem várias secretarias: da pesca, do turismo, da saúde, da educação, da
    inclusão social, da fazenda, do comércio, da agricultura, de governo, do
    planejamento, da mulher, das minorias…Mais de dez. Nenhum secretário ganha
    menos de R$ 3.000,00. No total, somando todos os que vivem de verba pública, e
    seus parentes, dá mais de 1.000 pessoas. E o município tem 5.000 habitantes.
    Todos os vereadores querem mais cargos para enfiar os parentes que não deram
    para nada, as amantes, os amigos e os parentes dos amigos. Nos contratos de
    obras, todos levam 10% de comissão debaixo do pano; a estrada não foi ainda
    asfaltada, mas já tem três barreiras eletrônicas, que juntas ficaram em R$
    300.000,00; a câmara de vereadores contratou uma empresa de publicidade, do
    filho um vereador e do namorado da filha do prefeito, por R$500.000,00, para
    fazer propaganda turística do município, que nada tem digno de turismo; os
    vereadores passam as duas reuniões da semana, das 17 às 19 horas, trocando os
    nomes das ruas, de Duque de Caxias, Osvaldo Cruz, Santos Dumont e Castro Alves
    para nomes de pessoas desconhecidas, todas parentes deles. Esse quadro
    tragicômico é a realidade de uma grande parte dos municípios brasileiros. Sabe
    o que é isso? A COISA PÚBLICA, que cresce descontrolada, como metástase
    cancerosa. Essa gente nunca trabalhou dia e noite, arduamente, anos a fio,
    nunca produziu bens ou serviços e, se produziu, foi por pouco tempo e com má
    vontade. O que eles gostam mesmo é de passear de carro preto oficial, ir a
    simpósios, congressos, inaugurações, palanques, visitas ao governador,
    passeios, hotéis de cinco estrelas, isso tudo com o SEU dinheiro arrancado
    pelos impostos. É nesse câncer que o comunismo, socialismo e todos os seus
    parasitas que vivem alardeando essas doutrinas se alimentam.

    É nisso que o Brasil está se transformando, e de modo acelerado. Se
    depender deles, teremos mais 50 estados, 10 mil municípios, 10 mil deputados,
    500 mil vereadores, duzentas estatais. Eles adoram a palavra “justiça social”,
    “mundo mais justo e solidário”, “terceira via”, “excluídos”, “estratégica”,
    “economia solidária”, “famintos”, vivem repetindo isso o tempo todo. Você já
    ouviu de um bom trabalhador, um bom empregado, um bom dirigente lojista, um bom
    médico, um bom criador, um bom agricultor, que algum deles quer a “construção
    do socialismo”? Você jamais vai ouvir isso da boca de quem trabalha o dia inteiro
    e produz bens e serviços para o país progredir. Você só vai ouvir isso de
    sindicalista, comunista, agitadores, eternos prefeitos, vereadores e demais
    políticos profissionais, todos eles fracassados na profissão de origem, se é
    que tiveram alguma; esse tipo de gente nunca mais se preocupa com as finanças
    pessoais, depois que todos viram “homens públicos”. Essa é a NATUREZA DA COISA
    PÚBLICA, DO COMUNISMO E SEUS ASSEMELHADOS. SÃO OS PARASITAS DA PARTE SADIA DA
    SOCIEDADE. POR ISSO ESSA GENTE NUNCA FALA EM REDUZIR A CARGA TRIBUTÁRIA, EM
    SIMPLIFICAR OS IMPOSTOS, EM DIMINUIR AS DESPESAS. NUNCA SENTIRAM NA PELE O QUE
    É TER DE CONTROLAR SUAS DESPESAS. ESTÃO SE LIXANDO PARA ISSO. É VOCÊ, QUE
    TRABALHA E PRODUZ PARA SUSTENTAR ESSES VAGABUNDOS, QUEM TEM DE SE PREOCUPAR COM
    CARGA TRIBUTÁRIA. ENTENDEU, AGORA?

  2. Duas figuras são responsáveis pela eternização dos “oprimidos” e da miséria: 1º. Os pais dos “oprimidos”, que os reproduzem, por ignorância ou irresponsabilidade, em número além de suas capacidades de sustenta-los; 2º. As figuras que detêm cargos públicos, de vereador a presidente da república, que extorquem excessivos impostos da parte sadia da sociedade – a que trabalha para sustentá-los” e, ao invés de aplicar o dinheiro com honestidade, lucidez e boa fé, simplesmente o desbaratam em Copas do Mundo, shows rasteiros patrocinados por prefeituras do Brasil inteiro, obras inúteis ou superfaturadas ou simplesmente o roubam; essa é a verdade mais cristalina e facilmente verificável, do Oiapoque ao Chuí. O resto, como sempre digo e repito, é lucubração de comunista ou filósofo de botequim ( muito encontrado – ambos – principalmente nas faculdades do país e, atualmente, no 1º e 2º graus).

  3. Há um engano neste post, pois o Paulo Freire, por mais badalado que seja, não é o responsável pelo descalabro da educação escolar no Brasil. As razões são diversas, dentre elas o fato de o Estado ser considerado o “educador do povo”, que teve início efetivo com a Reforma Capanema (Era Vargas). A ação do Estado educador se faz por meio dos exames nacionais que determinam o que deve ser ensinado e este é definido por um grupo de professores universitários, os quais, atualmente, tendem a considerar que saber alguma coisa é dizer o seu nome. Certamente nem todos os itens dos exames têm esta característica, mas é o que predomina. O próprio autor do post evoca o PISA, mas não sabe como este é feito e nem qual é a sua finalidade, bem como que o inventou. Como disse, há muitas outras razões, apontei apenas uma. Sugiro que verifique a realidade social da educação escolar antes de julgar que um e apenas um escritor, no caso Paulo Freire, tenha tanta influência sobre a educação escolar.

  4. Foi pra isso que acabaram com o Mobral, do regime militar?

    Pelo menos o método paulofreirista gerou consciências críticas. A ponto de criticarem o próprio Paulo Freire e seu método.

    Títulos de doutor honoris causa o malfadado FHC também tem. 29, ao todo. Mas vá dizer isso pra militância/milícia intelectual…

  5. Oxford, Cambridge, Harvard, 3 das melhores Universidades de duas mecas do liberalismo (EUA e Inglaterra), se rendem a Paulo Freire.O portentoso Instituto Liberal (liberal?), vai na contra-mão.
    Pausa para rir! Muito!

    • Outra balela é de que ele teria sido “Professor convidado” dessas universidades. Ora, ele foi lá assistir aula como ouvinte, não recebeu convite nenhum, e saiu espalhando isso. Outra grossa mentira.

      • …mas o próprio autor do texto afirma isso.Conversando com quem entende de educação, ou seja professores , a grande maioria é enfática em afirmar a importância de Paulo Freire.Contudo entendo a sua posição, como liberal você é adepto da meritocracia, mas seletivamente, se a pessoa em questão alinha ideologicamente com você..